31 - CARGA PESADA

Marcos Milhazes

 

A vida que trafegamos.

A estrada que nos oferecem seguir.

Das tantas paradas e perdas

 Que ainda tiremos.

 

 De uma terra esperança que ainda teremos.

 De um Brasil dos brasileiros que nunca tivemos

De um líder que rogamos

Num breve tempo

 

Será que ainda conquistaremos?

E se a próxima parada e não virá?

E a cidade esperança

 cansar de esperar e desabar

A estrada de percurso esburacado se transformar

 

 E nós tal uma carreta enferrujada,

que não mais agüentar trafegar.

E essa carga chamada vida

 que o povo tenta levar

E a carga desse povo sofrido

seja perdida e ele já sofrido se revoltar

 

 Registro até com um sentimento de desgosto

Será que a saída conhecida dos senhores

Será a mesma de sempre!

Sair pela primeira

entrada do primeiro esgoto?

 

 

32 - É A PAZ QUE PROCURO

Socorro Lima Dantas

 

É a Paz nos corações

que está faltando agasalhar

o amor aos nossos irmãos

para que haja

 

Vamos clamar pelo amor e pela Paz

sem perder a esperança,

que brotam nos corações

de nossos compatriotas.

 Vamos clamar pela paz

bradar esse sentimento de tão poucas letras

para tornar-se uma grande arma

eternamente apontada para o futuro de nosso País.

Não sejamos uma só pessoa

em busca do amor e da união

Então,

um convite de união!

Se nos dermos as mãos, juntos

seremos nós, e não eu

Se distribuirmos rosas, e não canhões

sentiremos o cheiro perfumado do amor

e não o odor de uma exaltação armada

É a paz que procuro,

então preguemos a Paz.

Dá-me tua mão, que te darei a minha.

Seremos nós na caminhada da vida,

Todos por um e um por todos!

 

 

 

33 - HIPOCRISIA

Conselheirodapaz

 

Nos ocultamos sobre as paginas do evangelho

Como santos lobos em pele de alvas ovelhas

Atiramos milhões de pedras e escondemos a atiradeira,

E como Judas no Jardim das Oliveiras,

Beijamos o Cristo Hipocritamente.

 

Erguemos em nome do Senhor templo as virtudes,

Com belas paredes banhadas no ouro da hipocrisia

e ornadas com belas telas da ignorância

Tudo sob o som da falsidade;

 

Negamos o Cristo crucificado não três vezes

Como julgamos a indignidade de Pedro o grande apostolo,

Mas milhões de vezes, espezinhando sem dó nem piedade

Os nobres ensinamentos por ele apregoados.

 

Nós horrorizamos com a lança a perfurar o peito do Mestre

Mas o apunhalamos a cada momento,

Com pensamentos insanos

e atitudes vis.

 

Se hoje retornasse o Grande Messias a terra

de conturbação e violência

Com certeza não o crucificaríamos, pois isto não se faz

Mas seria eliminado, como tantos mensageiros seus

que por aqui passaram, pelas balas da ignorância e da falsidade.

 

 

 34 - ATÉ QUANDO VAMOS NOS OMITIR?

 Célia Jardim

 

Chega de fecharmos os olhos para tudo

chega de nos conformarmos com tantos absurdos

o vandalismo cresce a cada dia

onde está o nosso direito à cidadania?

Onde estão as leis deste país

é um descaso, um diz que me diz

cada qual tirando o corpo fora

é preciso sacudir, a hora é agora!

Não dá mais para cruzarmos os braços

a cada dia ficamos mais sem espaço

a impunidade já chegou no limite

é preciso que o mundo grite!

Somos cidadãos, merecemos respeito

mas a cada dia perdemos mais e mais nossos direitos

já não mais temos sequer o direito de ir e vir

a qualquer hora uma bala perdida pode nos fazer cair!

Chega de nos conformarmos com esta situação

precisamos exigir dos políticos solução

vivemos de promessas que jamais são cumpridas

está na hora de exigirmos sérias medidas!

Somos nós quem escolhe nossos representantes

mas onde andam nossos governantes

que nos deixam cumprir esta sorte

em vivermos constantemente temendo a morte?

Chega de violência sem punição

vamos gritar por justiça meu irmão

estão tapando nossos olhos com a peneira

estão deixando o crime virar brincadeira!

Justiça, Liberdade, Vida!

Tem que haver uma saída!

Gritemos, peçamos Paz!

Que ela já tardou demais!

 

 

35 - ESSE NÃO É MEU PAÍS

( ROSE AROUCK )

 

Esse País não é o meu;

Tem muito lama nas estradas,

Tem corvos em passaradas

Rumo ao lixo que comeu...

Desfraldam falsa esperança

Desrespeitam a criança

Flagelam em nome de Deus

 

 Buscam em bando a carniça

Do resto morto que atiça

Para em lutas devorar.

Esse País não me pertence;

Disputas pra ver quem vence

Na fúria que se sustente

Pra correr e abocanhar...

 

É um País vagabundo,

Sorrisos roem falsos fundos

Cheio de córgea a gritar.

Tem dementes que alvitram os males

Em seus revezes miseráveis

Cobrindo-se de podridão.

É um universo descabido

Sustentando corpos que havido

Vivem a situação.

 

Pobre País caricato!

Faustos lúgubres em aparato

Surge perdendo a razão...

Eu não pertenço a ele não!

 

Esse País falta a cor,

O cinza sobra onde for

Espalhados pelos vãos...

Brincando zombam do amor,

Chorando falseiam a dor

  Amaciando ladrão...

Esse não é meu País, não!

 

36 - DESASSOSSEGO

 Tania Lemke

 

 Desassossego-me!

Por estarmos perdendo o mais importante!

A tentativa de estabelecer a harmonia Divina,

O  correr do rio pelas encostas verdejantes

De um mundo que estamos deixando  morrer lentamente.

Desassossego-me,

Porque nossa vida está esvaindo-se em guerras,

Em almas mal amadas que nada conhecem de fé,

Nada sabem sobre o amor pela água, pela terra,

Nem tem interesse pela flora e fauna arrasadas...

O que dizer então de seus irmãos miseráveis...

O que falar sobre misericórdia e amor?

Desassossega-me pensar na falta de união

No egoísmo, egocentrismo, banalização...

Banalização.... dos sentimentos, do crime, da guerra

Da violência, do ódio, do rancor...banalizados!

 

Mas volto a ter minha paz ao saber

Que ainda existem os ditos loucos que lutam pela vida!

Tranqüiliza-me saber que ainda existem

Os que travam sua última batalha... e a maior de todas

a de salvar nosso planeta Terra!

 

 

  37 - "CADA UM POR SI”

 Wilson Fonseca

 

Cada um por si, escapar por um triz!!!

Olha o povo correndo, nem sabe porquê!

Os bombeiros chegando, têm um ônibus queimando!

 É o da linha 666, Credo! Cruz! Escapei por um triz!

 Som de sirene, vêm vindo pra gente! Mas eu nada fiz!

Cada um por si, escapar por um triz!!!

E agora Luiz! O que você diz!!!

 Enganaram de novo! Só porque sou Zé Povo?Cadê você que pregava ideal, que era pobre coisa e tal...
E que ia defender até o direito de comer! bala, ai, ai, "zero"
E que iria acabar com a corrupção e a marginalização.

 Deu: Cuecão e Mensalão, que tremenda confusão!

 Cada um por si, escapar por um triz!!!

A onda agora é metralhadora e fuzis!

 E agora Luiz! A coisa tá ficando... O que você diz!

Meu celular não quer falar, perdeu o sinal...

 Será que é verdade que é pra não atrapalhar?

             As ligações do PCC pra todo lugar! Será verdade?

             Cada um por si, escapar por um triz!!!

             E ser muito feliz!( Parabéns pra você!) Foi por um triz, Luiz!

 

 

 

38 - ATÉ QUANDO?

   José Ernesto Ferrarresso

 

Apenas num toque digital,

Tivemos a decisão de um país,

Entregue nas mãos de uma pessoa humilde,

 

Que eu o conheci,

Unindo forças maiores onde viveu,

Amigos dos mais pobres e dos mais importantes .

Nunca pensei chegar nesse instante,

Determinar uma solução para um mundo novo

O Ontem , o Hoje,  o Amanhã,

 O que nos será reservado?

  Calar?...nunca .

  Gritar? ...Sempre

 

 

 

39 - ORGULHO DE SER BRASILEIRO

 Augusta Schimidt

 

Foi num sete de setembro

De um ano já muito distante

Que o povo brasileiro

Filho da pátria

Mãe gentil

Viu raiar a liberdade

No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira

Onde anda a liberdade,

Onde estão os braços fortes?

Pátria amada querida,

Pátria da paz no futuro e glórias do passado

Não deixe que teus filhos fujam da luta

Pátria amada, idolatrada!

Não permita que sua brava gente

Durma em seu berço esplendido.

É hora de acordar,

Brava gente brasileira!

É hora de salvar o Brasil,

É hora de fazer valer

O orgulho de ser brasileiro!

 

 

40 - SE A TURBA

Daniel Cristal

 

Nunca dou de barato qualquer acto,

e se a turba não liga ao que digo,

então eu digo: nunca mais eu ligo

ao lixo que, no outro, é um facto.

 

Se a turba não responde ao que eu exprimo,

que se lixe a orelha gasta e mouca

desta gente caduca que apouca,

e até a do primata que é meu primo.

 

Se o mal teima em grassar, que nela grasse,

desde que eu não deixe de amar

a pessoa que nos faz diferenciar.

 

Que nela grasse o ódio e a enlace,

que nunca mais se veja livre dele,

que a mate e esfole, alma e pele.

 

Participantes Pagina 01- Clique

Participantes Pagina 02 - Clique

Participantes Pagina 03 - Clique

Participantes Pagina 04 - Clique

Participantes Pagina 05 - Clique

Participantes Pagina 06 - Clique

Participantes Pagina 07 - Clique

Participantes Pagina 08 - Clique

Participantes Pagina 09 - Clique

Participantes Pagina 10 - Clique

Participantes Pagina 11 - Clique

Participantes Pagina 12 - Clique

Participantes Pagina 13 - Clique

Participantes Pagina 14 - Clique

Voltar