.
 
 
41. Idílio de uma vida
 
Sandra M. Julio
 
Pela infindável linha do horizonte, encontro-te saudade...
Alheado, no luzir de estrelas, vaga teu olhar.
Ouço oculto no tempo, um palmilhar de sonhos
Entreabrindo as janelas do amanhecer.
Neste mágico instante, as palavras se fazem versos
Ocupando uma solidão de abraços...
Intraduzível são as marcas deste sonho,
Quando tristes, irrompem minhas noites de espera.
Assim...
Sob lençóis de nuvens, uno-me a ti nesta distância...
Depois, neles escondo segredos d’alma,
Tua voz e o idílio de uma vida.
 
Sandra
21/08/06

*****
 
42. Guerreiros do Idílio
Iracema Zanetti
 
Ah que felicidade aprontaste em meu suave coração!
Convidar-me a ser tua companheira...
Descobrir novos caminhos
Como se o mundo fosse pequeno...
 
Levar-me a ver rebanhos pastando...
Ovelhinhas nascendo...
Aos sorrisos de Deus, por trás das nuvens...
 
Alcançar colinas andar de pés descalços
Em verdes prados...
Ouvir da vida o suave murmurar da brisa...
 Em doces lamentos... E, a seu calar...
Sobejar somente o som do silêncio!
 
Em criança fui anjo sonhador...
Brincava na fumaça azulada de folhas queimadas
Fazendo delas minhas nuvens companheiras...
De estrelas povoava o céu da minha infância...
Soprava-lhes meus beijos e deliciava-me ao abraçar a lua!
 
Meu desejo agora é andar contigo de mãos dadas,
Sem palavras e sem ruídos, seguir-te em total silêncio...
Olhando apenas para o teu sorriso lindo!
 
Não busques somente nos verdes prados,
A liberdade, a luz, esta canção !
Fiz-me tua sombra, e teu clarão...
Juntos escrevemos versos de amor...
Hoje sou teu coração...
 
Um dia, transcenderemos nuvens...
E com estrelas vamos cirandar
Ao clarão da lua, os sonidos de suas palmas...
E a plenitude de seus desejos a nos acompanhar...!
 
*****
 
43. Combates de amor
 
Minha batalha é ser mulher
Guerrilha travada pelos quatros costados
Em mil obstáculos buscando o que quer
Preconceitos à espreita, impiedosos soldados.
 
Quando  busco e caço, sou pistoleira
Quando  almas aproximo, alcoviteira
Quando  não me contenho, descarada
Quando  em dogmas abstenho, dissimulada.
 
Na batalha da paixão, todas as armas são válidas
Esgrimando corpos em guarda aprumada
Lançando setas ao coração
Como caçadora espero ser caçada.
 
Tornando-me presa em sensual cativeiro
Cerro portões libertando vontades primitivas
Em seus braços, subjugada por inteiro
Não almejo liberdade; sou eterna cativa.

DoraDBrazil
15/08/2006
 
*****
 
44. Saudades...

Tantos anos se passaram
mas continuo a mesma
Sou aquela que te ama
sem pudor e sem licença

Sou aquela que sonha
em estar aos seus braços,
a sentir teu cheiro
te devorar sem cansaço

Sou a única te amando a distância
vivendo das saudades e dela
fazendo minha vida
insana
 
Sumirê Tagliari Zungolo (Su)
 
*****
 
45. Idílio de Guerreiro
 
Ó anjo meu de falanges intrépidas
da qual represento àquela terra vã,
em serpenteadas correntezas lépidas
nas brumas presente do novo amanhã...
 
- Casta fonte segura desse chicote
Postado legítimo de cinturão crasso
No manto arado de passo a termo
O derradeiro na alma do enfermo –
 
D´um monte seguro destas alturas...
Clamo por ti no rito-defesa
Aos negros olhos jaboticabas,
 
Na flor macia rubra-vermelha
Encanto pássaro destes cardeais
Enrede meus dias à magia ancestrais!
 
Príncips
20/08/06

 
*****
 
46. CAMINHANTE
Naidaterra

Hoje,
Decidi refazer o mesmo caminho
e apagar os rastros das mágoas
que ficaram gravadas nas
terras por onde andei...

Hoje,
Quero apagar a dor e lavar
os espinhos manchados de sangue
fazendo reviver as flores que
insistiam em nascer e eu no
caos, não permiti...

Hoje,
Eu desejo gritar nomes sem
rancores fazendo vibrar
somente a emoção do amor e
soltar as amarras, sentir-me
livre para um novo caminhar...

Hoje,
Desejo em silêncio me desfazer
da dor para poder me encontrar
com meu avatar, meu irmão
amado e me desculpar...

Hoje,
Peço perdão a mim e espero
alcançar a glória para
perdoar a todos que me
magoaram e perdão a todos
que machuquei...

Hoje,
Encerro minha história
sofrida...
Hoje,
Começo a escrever meu novo
caminhar...
Naidaterra

 *****
 
47. SOU GUERREIRO
Marcial Salaverry
 
Minha guerra é diferente,
quero apenas e tão somente,
pela Paz e pelo Amor lutar...
Nesse campo quero batalhar.
É muito fácil lutar pela Paz,
fique sabendo disso, meu rapaz...
Não exige esforço ou valentia... só boa vontade...
e vontade de se chegar à felicidade.
Felicidade... coisa boa de se conseguir.
Vamos tentar não deixá-la fugir?
Felicidade anda junto com Amor...
Prá nossa vida traz mais calor.
Paz e Amor, já foi marca de gente
que queria apenas e tão somente...
paz e amor... Vamos resgatar o amor?
Vamos "lutar" por isso, se necessário for...
Usar as armas necessárias: carinho,
amizade, nem que seja um pouquinho,
um tantico de boa vontade,
e desejo de felicidade.
É melhor e mais fácil amar do que guerrear...
É verdade... podem acreditar.
Paz e Amor, bicho...
 
Marcial Salaverry
Proteja os direitos autorais

*****

48. Poesia
Eliane Gonçalves***

Hoje acordei sem poesia
Tua voz doce e macia
Desejando um bom dia
Cheio de melodia
Trouxe-me alegria
 
Nessa rima sem fim
Os versos se encaixam
Quando desejamos
Nada é obstáculo
Mas um desafio
 
Hoje acordei sem poesia
Seu afeto me fez sorrir
O longe se fez perto
A ausência se fez presença
Como mágica em mim
 
Linda imagem de homem
Que busco no infinito
Presente em meus desejos
Contidos e imaginários
Dos versos do meu coração
 
Hoje acordei sem poesia
Atreveria mesmo a dizer
Acordei com a alegria
De sentir você
Perto de mim

*****
49. Mulher...Coragem!
Margaret Pelicano

Amor coragem é meu nome
antes, durante e depois da vida,
embora o amar consome
faço da vida a humanidade lida e vivida!

Guerreira que sou
sem medo de terror ou miséria dos seres,
revoluciono-me, adapto-me
aos diveresos pareceres.

Produzo minhas próprias peças:
autora e artista nos palcos da existência!
Expresso o feio e o belo com premência
de quem um dia morre e deixa vaga a cadeira da ausência!

Por isso, meu nome é Mulher Coragem,
 junto a todas as outras margaridas,
vestimos a roupagem da força desmedida
e ao partirmos deixamos as coisas resolvidas!

*****

50. ESPÍRITO GUERREIRO


Arlinda Lamêgo

28/08/2006



Anjo, poeto o pranto nos mil lamentos,
Os salmos louvam-me no dizer calado.
No peito, dobro-me duros sentimentos,
Na alma, podres dores, em si cortados.

Rendo-me ao vasto mundo transitório,
Rasgo e sangro meu espírito guerreiro.
Levito-me sem medo em meu oratório,
Liberto-me do frio, as amplas geleiras.

Rego-me flores nos degraus da solidão,
Essa direção de amor silencia-me a dor.
Paginadas nessa derivação e expressão.

Conserto as nuvens brancas de algodão
Que brotam nuas túnicas da minha nau.
Em mansas cachoeiras dessa amplidão.

*****