.
 
 
51-ALMA ERRANTE

Anna Peralva
Oh! Alma Errante, que caminha a passos lentos
E às cegas, tropeça nas pedras de uma estrada
Mal traçada, que se fez labirinto...
Cujos sentimentos entram e saem
Sem fixar morada em nenhum coração
E se inebria de prazeres em diferentes corpos,
Sem pertencer a nenhum...
Que sacia a sede de desejos passageiros
E foge...
Não se entrega e nunca permanece
Para saber se amado foi
Ou para aprender a amar.
Seu corpo padece,
 Adormecendo as emoções
 Em expiação imposta neste seu andejar.
Refugiado na solidão, não consegue
Sentir o sopro da Paz,
Pois nunca pensa em parar;
Construir um ninho seguro, onde possa aportar
E se entregar por inteiro.
Neste necessário  afã de voar sem destino certo,
Faz dos seus momentos sonhos incertos,
Que o tempo certeiro
Transformará em vã poeira.  
Oh! Alma Errante vem...
Deixa-me aplacar esta inquietude,
Ser seu farol e guiar sua alma cansada
Para a calmaria da minha,
Que sempre lhe pertenceu e acompanhou
Com tristeza seus deslizes e delírios.
Acalma esta ansiedade navegando
 Nas águas claras da minha serenidade;
Deixa-se ficar e, chegará o dia onde
Aprenderá o quanto é gratificante
Amar e ser amado  na  mesma sintonia,
Em plena intensidade;
Permita-me ser sua metade e entenderá
No meu imutável idílio,
Por que uns amores pouco duram
E outros se eternizam...
 
*****

52. 

Certo dia um sacerdote percebeu a seguinte frase em um pergaminho pendurado aos pés da cama de seu mestre:
"isso também passa".
Com a curiosidade de cada ser humano resolveu perguntar:
"Mestre, o que significa essa frase?"

E o mestre sem titubear lhe responde: A vida nos prega muitas peças, que podem ser boas ou não.
Mas tudo significa aprendizado.
Recebi esta mensagem de um anjo protetor num desses momentos de dor onde quase perdi a fé.
Ela é para que todos os dias antes de me levantar e de me deitar possa ler e refletir, para que quando tiver um problema, antes de me lamentar eu possa me lembrar que
"isso também passa",
E para quando estiver exaltado de alegria, que tenha moderação e possa encontrar o equilíbrio, pois
"isso também passa",
Tudo na vida é passageiro assim como a própria vida, tanto as tristezas como também as alegrias. Praticar a paciência e perseverar no bem e nas boas ações ter simplicidade, fé e pensamentos positivos mesmo perante as mais difíceis situações é saber viver e fazer da nossa vida um constante aprendizado.
É ter a consciência de que todas as pessoas erram, de que o ser humano ainda é um ser imperfeito em busca da perfeição e por isso até saber que se muitas vezes nos decepcionamos com pessoas é porque esperamos mais do que elas estão preparadas para dar, dentro de seu contexto e grau de compreensão.
Deste modo, meu amigo, toda vez que olho para essa frase, meu coração se aquieta e a paz me invade, pois sei que
"isso também passa"
ac/lima.


*****

53. GUERRA DE AMAR E QUERER

«Zulay Vargas»

Por muito que analiso e penso,
no sentido concreto da guerra e da paz,
concluindo com senso comum, eu convenço,
que a guerra que quero e da que sou capaz,
é guerra entre lençóis, onde perco e venço,
a única guerra em que desejo estar,
guerra entre dois corpos, guerra do amar.

A loucura única que quero sentir,
e ser pressa na prisão do teu abraço,
onde quero morrer ou existir,
onde ser conquistador ou conquistado,
é indiferente,  só vale e conta o resultado,
do idilio acima de todo o material,
batalha sensual, carnal, espiritual,
 sentir teu corpo dentro do do meu,
calor, suor, inferno eterno, eterno céu.

Com essa tua boca seductora, me provocas,
e entre gemidos meu nome te escuto dizer,
e essa forma só tua, como me beijas e tocas,
que só contigo consigo vibrar, ter, ser e sentir,
anseios e seios, corpos, membros, ir e vir.
Ora me encontras sumisa,
ora disposta a ganhar,
arrancar os botones da camisa,
e vencerte ou perderme na batalha deste amar,
pedir, agir, dar, amar, ganhar, ceder ou perder,
Todo cabe nesta guerra do amar e do querer.

«Zulay Vargas»

*****
54. DIRIMINDO DÚVIDAS
Edmilson Alves
 
Só se percebe se o amor vivido
foi  um sentimento verdadeiro
quando se perde e um dia o revemos...
... Contemplando-o  sem nada sentir
ou, sentindo-o, com a sofreguidão do desejo.

Se for apenas como vulto estranho
entre tantas imagens desprovejas...
... Será este, o amor imaginado por agente?!...
Passar por ele formalmente,
Fingir conhece-lo,
Sem sentí-lo?!
 
Quem poderia  pressupor
a sofreguidão do desejo ausente...
Que estaria indiferente
na história de um  lindo amor?!
 
O sentimento
vivido no olhar premente
mas, com palavras mudas sem calor,
é um  capítulo final...
O fim de tudo
Inconseqüente...
Não é nada!

O verdadeiro amor
permanece incólume na rota do destino!
Encontra-lo...  é não perdê-lo!...
É a permanência do desejo...
Pra não se morrer
Se mata-lo

*****

55. GUERREIRO DO IDÍLIO...
Carmen Ortiz Cristal

Ouço o canto da tua alma
O apelo do teu coração
Um versejar de tristeza
Um mar de dores de onde emerges
Valente,  corajoso, banhado em luz....
Lutando por acreditar
Confiar no lado humano do ser
Através de um canto de paz
Abraçar o mundo
Beijando a face de quem sofre
Escravo da desesperança
Tão nobre quanto tuas rimas

Ouço o canto da tua alma
O apelo do teu coração
Que se faz mensageiro do bem
Viajante solitário entre astros e estrelas
Condutor de uma nau de liberdade para todos
Desejoso de um mundo melhor
Espaços benditos onde os jardins floresçam
Nos pomares dobrem os galhos ao peso dos frutos
A abundância se faça em tempo real
Perfumem os corações
Alimentem as bocas famintas
Cale o rancor, miséria do espírito
Que mutila, extermina o lado humano...

Ouço o canto da tua alma
O apelo do teu coração
E a teu chamado junto-me a ti
A teu serviço coloco minha pena
Entrego minha alma, meu coração!...
Faço-me tua companheira nesta luta
Sejamos por um mundo de mais amor
Um mundo de carinho, compreensão...
Um mundo onde a voz domine a fera
O olhar seja franco,
A mão erga-se pela justiça...
Um mundo que seja para todos
De respeito pelas individualidades

Ouço o canto da tua alma
O apelo do teu coração
Tomo como minhas as tuas verdades
Renascida das cinzas, pelo que acredito...
- Aqui estou!...
Guerreiros do Idílio!...
Juntos haveremos de eternizar o amor...

Santo André
SP-BR

*****

56. Guerreiro

Guerreiro sou sempre em nome do bem
Do amor, da paz, da luz
Do exemplo de lutar, lutar e não desistir
Guerreiro dos que sofrem  nas aldeias da desilusão
Dos francos de bom coração
Da alma que clama por amor, justiça
E fora o rancor que predomina o desamor
Guerreiro nos pequenos gestos simples
Que levam a coragem de um vencendor
 
André Barbosa Nunes - POETINHA

*****
57. Vou levando a vida...
                             Clicia Pavan

Vou levando a vida num tom
doce de melancolia.
Escrevo abafando a saudade que sinto.
 
Escrevo à luz de velas, pensando na lua...
A candura que ilumina meus versos.
 Vou levando a vida como uma
rosa-agreste que sou!!

A seca passou...
A tristeza,como folha seca voou!!
A rosa-agreste ficou, pois,
atrás de tempos, tempos vêem...
 
Vou levando a vida como um caminheiro...
Se por um  caminho vai o passado...
Naquela vereda vai o presente..

Mudei a rota do destino
Caminhos e veredas...
Como rosa-agreste nas veredas me embrenhei.

 *****
 
58. UM GUERREIRO
 
Mário Osny Rosa
 
Quando lembro os pastores
Vagando em seus labores.
Pensando em seus amores
Distante dos seus albores.
 
As ovelhas a guiarem
À noite elas contarem.
Na volta do pastoreio
Lembrança de um guerreiro.
 
Lá esta sua amada
Na tenda a esperar
Queria logo o beijar.
 
Recebia o com um sorriso
No coração um ardor
Daquele grande amor.
 
São José/SC, 6 de setembro de 2.006.
morja@intergate.com.br
www.mario.poetasadvogados.com.br
 
*****

59. GUERREIRO DO AMOR!...
 
Dentre as colinas da sabedoria ele surge em seu cavalo branco
se faz senhor solitário, percorre os vales do desconhecido,
depara-se com os corações tomados pela tristeza e desencantos...
A eles entrega esperança, o amor, a doçura e o respeito.
 
Continua seu caminhar...
depara-se com os de coração sofrido e a eles ensina o caminho da fé.
Em seu caminhar se faz soberano,
Encontra-se com a dor e a ela entrega o bálsamo do amor
que cicatriza as feridas mais profundas.
 
E, mais adiante, encontra-se com os sábios e
com eles compartilha com o humildade todos os ensinamentos,
mais adiante,
depara-se então com os verdadeiros hipócritas
que se vestem de coitados,
e a eles lança o olhar de desprezo, perseguido então por estes algozes,
O guerreiro devolve amor a toda espécie de ataques.
 
E quando se depara diante do vale do encanto,
percebe então que não se faz mais sozinho,
com ele se encontra um exército que busca somente à paz, ao amor.
O respeito, o trabalho, a decência e a concórdia...
O guerreiro, então, sobe às colinas e, de lá grita,
como senhor deste exercito: - Viva o amor!
 
 
Paulo Nunes Junior
SP - Brasil
28/08/2006