01-SOLIDÃO...

Vem toma conta de mim!...

Atormentas-me a alma com a profundidade da dor,
do silêncio, cansa-me o ser...
Tira de mim o que de mais puro tenho
ao mesmo tempo que me é companheira protetora...

Ó sentimento ingrato!...
Companheira dura, porém protetora.
Seria eu um fraco em procurar em ti, agora proteção?...
A este coração que descobre a verdade.
A dor de ter sido traído na lama das impurezas...

Logo eu, ó senhora!?...
E agora, eu e você!...
Adoto-te por companheira,
para proteger-me de futuros medos,
futuras frustrações e de futuras traições...

Ó medo!...
Foi você que me apresentou a esta senhora,
que a muitos é bruxa e a mim será companhia...

E agora, eu e você!...
Vamos percorrer o mundo!...
Dai-me forças às minhas mãos!...
Traduza aqui!...
Tudo aquilo que meu coração sente
neste tempo de ingratidão em que vivo,
de esquecimento, de fuga.

Senhora vem!...Entre e domine,
Mas não me castigue além do que já fui...
Jamais permita que meu coração se abra
a estranhos e aventureiros sentimentos.

Vem!...Proteja-me!...
Coloque-me, por vezes, no escuro...
Para que eu não possa ser notado.
Vem!...
Domina-me as entranhas...
Sejas minha companheira...
Protegendo-me das desilusões,
das dores do amor não correspondido!...
Vem!...
Toma lugar ao calor que sinto em minha alma!..
Toma meus desejos mais quentes!..
Apague a chama do prazer!...
Faz-me frio e inerte aos sentimentos selvagens.
Faz-me quase puro,
proteja-me de mim mesmo, de meus desejos!..
Quero fugir deste sentimento...
Que me cobra coisas que não consigo ser!...

Vem...Senhora que és agora minha companheira!...
Proteja-me de tudo isto que me fere o coração,
abala minh´alma e me faz quase desistir da vida...
Vem senhora, penetra em minha vida!...
Dê-me o aconchego da tua muralha protetora,
Aos sentimentos que me castigam!...

Pois enfim contigo estarei!...
Só eu e você!...
Enfim no meu canto.
Protegido de tantas dores, tantas marcas...
tantos descasos...tantas traições!...
Vem toma conta de mim!...

Paulo Nunes Junior
Bertioga
30/12/2005

******

02-SOLIDÃO...
®Tania Lemke

Sentada em minha sala...
Perdida em meus pensamentos...
Para onde irão?
Para onde irei?
Solidão enorme me invade
Como sentir-se só quando a temos como nossa companheira?
Eterna companheira, vai mas sempre retorna,
E bate em nossas costas e nos diz:
-Pensou que te abandonaria?
Jamais...
Ela se mostra da maneira mais matreira,
Um icq vazio, uma tela em branco...
Um telefone que jamais toca...
Uma noite que não passa...
É essa minha amiga e companheira Solidão!
Um copo abandonado de cerveja,
sozinho num canto da mesa!!!!
Solidão é abstêmia!!!!!
Tão sem gracinha ela....
Mas é companheira, isso é!
Esta sempre disponível!!!
Ela abriu minha agenda em cima da escrivaninha:
Olha ai, vamos sair com esse povo?
Eu olho com carinho para ela e digo:
-Para que, minha querida....
Só você vai se divertir,
Pois irá continuar lá, ao meu lado, firme!
Tanto faz lá, como aqui com você,
Minha amiga Solidão...
Melhor aqui...
Assim ao menos você, minha querida amiga,
Conversa comigo!
 
 
******
 
03-SE VÁ... SOLIDÃO
Iza Mota

Porque insistes em ficar aqui a me olhar
Se vá...
Abandone este que escolhes-te como lar.
Se vá...
Não serei mais, para ti, boa companhia
Se vá...
Não podes co-habitar um coração que existe por amar
Se vá...
Procure outro para consolar e os pedacinhos juntar
Se vá....
Não vou te deixar ficar, e contigo me consolar
Se vá...
Não me desesperarei, nem intempéries profanarei
Se vá...
Meu coração é grande, mas não tem espaço pra te
Se vá...
Procure outro coração para as lágrimas enxugar
Se vá...
Sai do coração, da canção, do celular, do poetar.
Se vá....
Me deixe o verdadeiro amor vivenciar
Se vá....
Não precisa se preocupar nem lembranças mandar
Se vá...
Não te quero mais, nunca mais, companheira solidão
Se vá...
E me deixe livre para amar.
 
******
 
04-SOLIDÃO...

Triste,
inocente filha desse mundo ingrato
forjada sobre um trato
demoníaco,
onde sangue e lágrimas
foram fecundados por
deliciosos pingos de impunidade
Sobre o lençol da insanidade
fostes criada
educada a torturar
jamais saberá amar
Tão amarga e odiada
segue ensinado duras lições
aos nobres corações
escolhidos de forma mágica
ah, historia trágica
Bela ela cresce e se alimenta
de humanos,
destruindo seus planos
Sem saber a culpamos ,
e por trás dela
o mundo tirano
se faz de inocente...
Oh mundo
me deixes com a solidão ...

Anarkista
 
******
 
05-SOLIDÃO INTERIOR
SuelyDam

Solidão interior é quando buscamos
no fundo da alma, algo que não se concretizou
que deixa a sensação de vazio
do que era pra ser e não se realizou

Sentir solidão é amar convulsivamente
alguém que está longe da gente
na ânsia louca de estar perto
e quando olhamos do lado, tudo parece deserto

Solidão é amargor que deprime
É suavidade que não se define
é encostar o rosto na janela, ver a chuva cair
e em cada gota, uma lágrima do coração sair

Solidão é ter o peito oprimido
num aperto que não tem fim
vontade de soltar um grito
e chamar você correndo pra mim

Solidão é sentir-se oco
da vida esperar-se pouco
mas sou mais que isso

Vou dar meu grito de socorro
vem... me tira do sufoco
porque é de você que preciso!
 
******
 
 
06-SOLIDÃO...
Schyrlei Pinheiro

Companheira certa das horas incertas.
desmascaras, refletindo 
em meus pensamentos
aquela verdade,
que dentro de meu coração guardei,
supondo que, ali, à salvo, 
ninguem iria encontrar.
Mas, a tristeza  fecunda, 
que traz a lágrima ao olhar,
 possui a chave da alma
 e em meu cofre  resolveu,
 sem licença, penetrar,
deixando esta saudade doída
 em minha solidão espelhar.
Entre cobertas e travesseiros,
renasce o meu desespero
 por  contigo ,
agora não mais estar.
 
Reg 214 053-
 
******
 
07-ESTOU SÓ...

Lá fora o céu chora
Estou só!

Vou vestir minha alegria
Para viver
Ainda vejo seu rosto nas luzes
A noite elas brilham mais!

Lá fora o céu chora
Estou só!

Vou vestir minha verdade
Encontrei novas perguntas
Ainda sinto seu perfume nas flores
Abertas alteram meu sentimento!

Lá fora o céu chora
Estou só!

Vou vestir minha alta-estima
Preciso voltar a ser eu
Ainda ouço sua voz nos violinos
Solitários eles abragem o mundo!

Lá fora o céu chora
Estou só!

Vou vestir minha alma
Esta leve e cheia de carinho
Ainda sinto seu pensamento nos livros
Abertos me levam-me ao paraíso!

Lá fora o céu chora
Estou só!

Vou vestir meu amor
Preciso navegar
Ainda vejo sua lágrima no mar
Pois na onda sempre chega na praia!
 

Lá fora o céu chora
Estou só!
 

Auber Fioravante Junior
Porto Alegre - RS
 
******
 
08-" É ELA ... CHEGANDO !"
GRAÇA da PRAIA das FLECHAS
 

Agonizando ... Morrendo,
Lentamente ... Sentindo,
É Ela ... Vindo,
Sorrateiramente,
Dentro de Mim!
 
O que deseja mais ?
Não chega o que já fez ?
Destruindo tudo,
Do que foi capaz ?
Deixa- me morrer
----- Em PAZ ! ----
 
Não vou mais
--- CHORAR ----
--- Da DOR ----
De ter perdido 
--- De VEZ ---
Este maldito AMOR...
 
Estou indo embora,
--- Com ELA ---
Que só tem 
Uma Definição !
 
É a minha inseparável,
E Triste Companheira:
---- A Destrutiva ---
----SOLIDÃO !----
 
Direitos Autorais Reservados ®
***Direitos Autorais Reservados ®
*** Campanha pelos Direitos Autorais
na Internet ***
www.2be.com.br
NITERÓI - RJ
 
 
******

09-"AMIGA SOLIDÃO"
 
Solidão amiga me deite em seu colo.
Me permita fugir de mim e repousar em seu silêncio.
Não desejo vozes, nem sorrisos.
Quero apenas o refúgio que me dá quando me encontro contigo.
Amiga que em meu maior abandono não me deixa só.
Sopro de vida em meu momento mais único.
Amiga que calada escuta meus tormentos e sorri de meus desatinos.
Fiel, canina e por vezes dolorida.
Mas sempre a amiga solidão que busco por mim, sem chamados.
És momento de minha paz necessária.
Abrigo seguro de minhas angústias.
Em seu ombro choro mágoas e despejo minhas iras.
Espelho meu...
Minha alma trancada e liberta...
Em ti me guardo e me solto.
Pra ti dou a mão.
Juntas caminhando, minha amiga solidão.
 
Andréa Maia
11.07.2006
Rio de Janeiro
 
******
 
10-MANDACARU...
Manoel
 
Guerreiros do Sertão
Homens de cara rachada
Corpo - aluvião
Vida mascarada
 
Bravo, forte
Desafia a natureza
Ama como o sabre
Na agonia vê beleza.
 
Cruza fronteiras
Abarca insanidades
Apanha por fora
Desconhece vaidades
 
Cabeça de miúdo
Curva de rio
Enfado do graúdo
Coração varonil
 
Do grande é trampolim
Do pequeno, degrau
Da Sereia, miragem
Do hipócrita, quatro-paus. 
 
Crescido do nada
Canga da verdade
Coração não desaprende
O gosto da saudade
 
Ama alucinado
Sente falta de seu chão
Redunda melindroso
Agreste o pão
 
Beija mão no Pai-nosso
Busca a mãe sob o manto
Severa é a vida
Amargo o pranto
 
Renasce dia a dia
Faz da vida, memória.
Desafia a morte
A Deus entregou a história
 
 
******

 

 

 

 

Voltar