101-Solidão
(Alzirita Travassos)
 
Por que você não me abandona?
Por que tomou conta do meu coração
dos meus pensamentos, dos meus sonhos
da minha realidade, da minha vida?
 
Sinto-me extremamente cansada, desmotivada...
 
Solidão
Livra-me do seu peso, da sua presença
da sensação de não ser, de vazio.
Por favor, vá embora.
Preciso recomeçar a viver
a sorrir, a cantar, a amar...
 
Solidão...
Onde está você?
Solidão...
Você foi embora!
 
- Obrigada, amiga.
 
Rio, 16. 07. 06
(Sol... alegrando o dia que amanhece)
 
******
 
102-Solidão
 
Sentado, olhando todo o alcance da visão...
 os pensamentos escorrem lentamente como areia entre os dedos...
 uma nostalgia misturada a braços caídos...
 uma sensação de não estar realizado,
 como que uma agonia inquieta que sobe do estômago...
 nossa simples existência nada conta..
 algo nos perturba, algo indefinido e indefinível..
 saltar para outro lugar?
 Outro país?
 onde estarei com meu espirito calmo e repleto?
 solidão se junta a insatisfação...
 a cara que nos é habitual nos enfarta...
 os pormenores menos agradáveis se juntam
 como gotas de água pingando em taça...
 começa a noite cada vez mais completa no pc...
 depois, o pretexto para fazer a mala e partir...
 Para onde?
 para onde o sorriso impere,
 para onde recomece tudo de novo...
 uma mulher, uma casa, um outro meio...
 solidão é um verme que perfura,
 se contorce, se averruma...
 espirito de conquista?
 De cruzado?
 de navegante?
 De "bolinar" contra ventos e marés?
 A busca da tempestade do "bojador"
 para ter o orgulho de sair "são e salvo"?
 Nunca se sai...
 umas aparas no mínimo lá ficaram,
 e vão alimentar esse ogre voraz a que chamamos de solidão!
 solidão, a dos "malditos"!
 a dos sempre sem eira nem beira,
 permanentes ciganos de terras e gentes,
 dos que fogem para nascerem
 e se desenvolverem como hera no muro,
 buscando o sol no ser novamente reconhecido pelo seu valor pessoal...
 há sempre um mais além,
 como cachorro insatisfeito no passeio das redondezas de sua casa...
 um próximo minuto a ser gozado,
 minuto esse de relogio de ponteiros encravados..
 O tempo pára!
 olho para o lado: ninguém!
 Terei força para me levantar e avançar?
 travarei minhas idas e vindas lentas
 e sem sentido ou finalidade?
 tudo que havia a observar está visto...
 O mundo me pertenceu, nada mais há la longe!
 o mundo é uniforme e vazio...
 cinzento opressivamente húmido como numa sauna sem luz...
 FICO AQUI!
 É minha vontade!
 Eu mando e tu cérebro me hás-de obedecer!
 Te renego solidão!
 te expulsarei para o mais baixo da inconsciência!
 E se ganhei outras guerras,
 sou homem para vencer esta muito mais insidiosa e destrutiva,
 meus punhos se erguerão para o céu neste clamor!
 
Henrique Lacerda Ramalho
http://www.sokarinhos.com.br
 
******
 
103-SOLIDÃO GELADA ...
Nídia Vargas Potsch
 
Solidão gelada ...
É assim que ficamos
quando o amor vai embora.
Frio! Um frio intenso
toma conta do coração.
É tanto frio que ele bate "escaldado".
Fecha as portas simplesmente, nada mais ...
Tranca tudo!
Se tranca e não quer ver ninguém.
Tem um rio de lágrimas e sangue
a derramar por dentro,
que não passa, não vai embora,
fica martelando o pensamento: onde foi que errei?
Solidão gelada ...
Que se faz sozinha, cada vez mais só,
sem querer companhia,
para melhor exorcisar
o fantasma do sofrimento e da dor ...
Solidão gelada ... Angústia de Amor !!!
 
 
******
 
104-Solidão !!!
by Rô ©rivelaro
 
Palavra e um sentimento que as vezes nos pega.
Só sente solidão quem não é merecedor de carinho.
Pessoas carente sentem isso.
Somos milhares de seres na terra, como podemos
falar em solidão?
Necessitamos dela para refletirmos,
colocarmos nossas cabeçinhas em ordem.
Ela se faz necessária, mesmo nos momentos
mais tumultuados de nossas vidas.
A solidão não devemos ver como um acontecimento
em que ficamos a sós; digo o só.
Fazemos isso porque queremos.
Não existe um Ser que prefere ela.
Nós ficamos no nosso casulo para
tentar fugir dos nossos problemas, e pensamos que assim seria,
mas estamos enganos.
O momento é de refletir e tentar ver onde erramos, onde acertamos.
As vezes estamos em volta de muitas pessoas
e mesmo assim ela vem.
O que procuramos não está naquele momento, e nem muito
menos em um evento.
Ela está aqui dentro do coração.
Se você tem as pessoas que ama a sua volta,
nunca vai se sentir só.
Faça por merecer.
Faça acontecer
E diga a solidão
 
Um Adeus !!!
 
******
 
105-SOLIDÃO, NUNCA!
BERNARDINO  MATOS
 
Sempre que eu viajava para o Rio de Janeiro,
na descida do avião milhões de luzes avistava,
me envolvia um sentimento terno e verdadeiro,
numa daquelas luzes alguém ansiosa me esperava .
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Carrego sempre comigo uma forte convicção,
que a dor, a alegria, a lágrima e o pesar,
a amizade, a ternura, o amor e a paixão,
são maneiras físicas de a alma se expressar.
Quem tem fé em Deus e ama a Vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Tudo o que nos envolve compõe a vida,
a beleza da flor, o calor do sol, a luz da lua,
o orvalho, a chuva, o vento, a árvore florida,
o mar, os rios, as florestas, a natureza nua.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
A ela também pertence o batalhão dos desvairados,
fazem parte da romaria os enfermos, os mendigos,
os paralíticos, os cegos, os surdos e os deformados,
os que passam fome e os que vivem sem abrigos.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Se nos envolvermos, totalmente, no plano material,
dando valor à riqueza, a posição social e ao poder,
viveremos na insegurança e envoltos num temor fatal,
e não aceitaremos a pobreza, o descaso ,a morte, o sofrer.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
A vida é responsável por esse universo imenso,
nele jamais caminharemos sós e esquecidos,
é preciso que amemos de um modo intenso,
e enxerguemos todos como entes queridos.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Se nutrirmos por alguém um amor profundo,
teremos  sua continuidade noutra esfera,
tudo poderá fenecer e acabar o mundo,
num lugar de paz alguém feliz nos espera.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
A ternura e o carinho dos velhos muitos não aceitam,
como se a expressão do amor aos jovens pertencesse,
o calor da vida e os gestos desprendidos que deleitam,
não tem idade, nem cor, nem status, nem interesse.
Quem tem fé em Deus e ama a vida
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Se nos dermos às mãos, como elos de forte corrente,
e dividirmos todas as alegrias e agruras da vida,
jamais a solidão em nosso caminho estará presente,
pois teremos a esperança permanente e fortalecida.
Quem tem fé em Deus e ama a vida,
jamais à tristeza da solidão dará guarida.
 
Fortaleza, 24 de maio de 2005.
 
******
 
106-Solidão Terna
Maria Anjinha
 
Sentada, da minha varanda...
Sinto um vazio.
Essa solidão que me acompanha!
Uma solidão que não é ruim.
Uma solidão terna...
Olho para o Mágico Jardim,
fico à procura do seu encanto,
de suas cores a brilhar, no raio do sol.
 
Eis que chega para me brindar,
você, minha linda borboleta,
de cores variadas e matizadas
que veio para saudar e encantar,
todas as flores do meu jardim.
 
Ah! quanta saudade,
quanta alegria dentro do peito
que chega a me emocionar...
 
Mas eis que a vida gira... gira...
quando ,de repente chega aquela
emoção tamanha, de encontrar
novamente a minha linda borboleta.
 
Ah! Minha linda borboleta...
Você nem imagina o amor que sinto por ti!
Um amor sem troca de nada.
Um amor limpo de ternura dentro de minh'alma.
Um amor onde eu consigo, pegá-lo com carinho,
aconchegá-lo em meu coração,
e guardá-lo, para sempre, em meu peito,
de amores alegria e solidão!...
 
Maria Anjinha
 
******
 
107-SOLIDÃO
Pilar Casagrande
 
As horas de solidão são as mais infelizes,
Pois são as que a vida nunca apaga.
Ficam muitas cicatrizes,
Desta dor que sempre esmaga.
 
Nos deixa quase loucos,
Pois tudo que chega ela destrói.
Vamos morrendo aos poucos,
Nesta dor que corrói!
 
São sentimentos que não tem emprego,
São coisas muito sofridas,
Chega mesmo a tornar o mundo negro,
São feridas muito doloridas!
 
O coração vive amarrado, não solta,
A gente vive na contramão.
O mundo pode estar cheio à nossa volta,
Mas é triste sentir esta solidão...
 
******
108-Solidão!
 
É! Quem já viveu com ela por dias e noites
Sabe quão pesado é o fardo e, como se fora um açoite
Doi na alma e também no coração
Como um castigo uma severa punição
Solidão de um amor que se foi
Ah! Como  magoa e muito doi
De um amigo que viajou e definitivamente partiu
Ah! Só as lágrimas podem explicar o inexplicável
E se a solidão é fruto da traição
Essa por certo tira um pouco do coração
Aquele que foi reservado à paixão
Não há remedio, a cicatriz fica lá um tempão
À cidade não tem seta e vaga-se sem direção
O dia não tem noite e esta não tem luz, tudo é um apagão
Por isso independente da hora sempre é escuridão
Ah! Solidão quem te inventou, também criou a dentes:
O amor, o odio, a paixão, a felicidade e a infelicidade
Pois, com certeza habitas onde há amantes
E quando te mudas, ninguem tua falta sente
De vez que assim teu vão é ocupado pelo sorriso a se ver
E a alegria de estar é constante do viver.
 
Lúcio Reis
Belém do Pará
Em 17/07/06
 
 
******
 
109-SOLIDÃO
 
Eu estou só...
Momento lírico... nasce a poesia.
Lábios silentes...coração pulsante.
Sonhos ...Palavras novas...uma poesia.
 
Estou só...olho a face da multidão neste dia...
Mãos teclam...momento mágico-pensante.
Solidão de palavras, de toques, de fantasia.
Poema surge, expressa-se, preenche a vida vazia.
 
Onde moras solidão?
Estou só...solidão de poeta e de amante.
Fico a cismar...como um ser pensante...
 
Acaso teu ninho é no espírito ou no coração?
Ou na alma dos que não recebem carinho?
Ou na mente de quem clama por companhia na multidão?
 
Joyce- Lu@zul- Paris- 28/05/2003
("In" TEMPO DE AMOR)
 
 
******


110-Solidão
Anna Müller®
 
Ensurdeço
ao bater da solidão.
Aproveita a porta entre aberta...
Fria...tenta sorrateira
violar sem compaixão.
Em silêncio, a postos,
a querer de toda maneira
trancar o coração.
 
Tal e qual é seu poder...
destrói tudo que vê;
avassala sem tempo perder
como vento em desatino...
Açoita fracos sentimentos
e despedaça os sonhos,
traçando seu próprio destino.
 
Aproveita da incerteza...
do medo alheio de amar.
Fria...mata a ilusão
do sonho realizar;
e com imensa avareza,
vem chegando armada
a cumprir a sua missão.
 
Adentra o corpo inteiro...
envenena sem pensar;
pouco importa se a vida
chora como alvo marcado...
por um tiro certeiro
adentrando a alma fenecida
por um sonho de além-mar.
 
Ela invade brutalmente...
rasga cada momento guardado;
apaga página a página
em louca obssessão
de arrancar primeiro
a fina pele transparente;
e deixar sangrar a cada gota
o sonho agora acabado.
 
Invade logo de uma vez
e termina tua missão.
Tem piedade da alma rota
que no sonho inacabado
teve como companheiro
alguém que talvez
fosse a própria solidão.