131-SOLIDÃO

Partistes
nestas horas tão calmas,
fiquei aqui tão triste
no alvorescer.
Dissestes
ás bondosas almas
voltarei,
me enternescestes.
Candeeiros fumegantes,
neste casebre isolado,
vozes distantes,
isolado me amargurei.
Esperançoso,
dias e noites esperei,
fiquei desolado,
só, sozinho eu fiquei!

Maurélio Machado
São Bento do Sul/SC
 
*******  

132-CALE-SE SOLIDÃO!
ELIANE TRISKA
 
Frágil linha do não-eu
 o que é teu?
Meu desconsolo
meu abandono
meus versos tolos
rasgaram a poesia.
 Cruzo a linha dos portais do tempo
em regredida esperança,
e frente à minha criança ouço:
Sim, já fui feliz!
Colhida... preso espanto
 que já foi pranto,
 estanco lágrimas do que não fiz.
Em novos versos me faço
recrio a vida
 e a poesia me tem
como um eterno aprendiz!
  
******* 
133-Quem se sente só
( Neyde Noronha)
 
Solidão não é o farrapo
De alguém largado as traças
Não é abandono
 
Solidão é um traço a menos
Um risco apenas
A falta de cor
 
Na puberdade
Na adolescência
Na maturidade
 
Quando se perde alguém
Solidão
Um estado
Que invade vidas
.
Muitos que a conhecem
Vivem de sonhos
De ilusões

Quando ela chega
Vem com mágoa
Ofusca o entendimento
 
De quem se sente só.
 
Niterói, 19 de julho de 2006
  
*******  
 
134-QUERIA VOCÊ
LEO LONGHI

Queria poder sentir seus lábios,
queria poder sorrir todas as vezes que te vejo
e pelo menos uma vez esquecer que existe outro em seu pensamento
Mas a minha maior dor é que você se apóia em meus ombros para chorar e me ve apenas como uma amigo...
Sei que cada vez mais eu gosto de você, mas junto com esse sentimento cresce também um medo de que nunca mais eu possa olhar para seus olhos verdes;
sinto muito não ser a perfieção que você queria, e consigo entender...vou tentar te esquecer mas como ficará meu coração?
Só preciso te dizer poucas coisas eu necessito de seus braços para me envolver e preciso de você para me fazer feliz...


******

135-Solidão
Ligi@Tomarchio®
 
No afã dos deveres cumpridos
esquecemos nossos semelhantes
como se antes não existissem:
sinal de tempos conturbados.
 
Perturbados humanos sem direção
onde um vão arrebata seu coração
por milhares de pessoas esbarram:
solidão do mundo.
 
Rachados ao meio seus sentimentos
alimentam seus lares e contas bancárias
esquecendo sua importante missão:
amar ao próximo como a si mesmo.
 
Amor ausente nos corações duros
perdidos na multidão do mundo
o correr do tempo dirá:
não estamos sós...
 
Ligi@Tomarchio®
São Paulo - SP
http://paginas.terra.com.br/arte/ligiatomarchio/
 
******
 
136-SOLIDÃO
 
Procuro a solidão
Esta cabeça parece rebentar
De tanta emoção tanto pensar
Porque a vida é sofrida
E mesmo se a quero colorida
Parto os pincéis na raiva desmedida
Procuro a solidão
Para me encontrar
E do hospício me livrar
Pois não encontro solução
No seio dos homens
E a cidade é tão abrupta
Simples amálgama de desejos
Cada rua é uma linha indiscreta
Directa ao meu devaneio
Suplica-me um verso
Mas estou cansado e cheio
De pedidos e exigências
Procuro a solidão
A minha solidão
Aquela que me dê a paz
E para isso procuro
O rio na montanha
Lá deve haver solidão
Deve ter analgésico
Para esta dor que me consome
E no pico mais alto
Onde habitará a paz
Sob o sol impiedoso
Sento-me e fecho os olhos
Aguardo a solidão
Esse sentimento que me esvazie
Que me deixe como saco plástico
Sem compras
Fútil, inútil, usado
Mas a longa espera
Não me dá a solidão
Pois mesmo com os olhos fechados
E tentando não escutar o som
Do condor que me grita
E do vento que me ralha na pele
Subindo pelo vale profundo
Vislumbro a conclusão
 
Quem pode encontrar a solidão
Se em si germina ainda (o) um mundo!
 
© Luís Monteiro da Cunha
 
******

137-Solidão
 
Sinto-me hoje desgarrada em busca talvez de um nada
Algo que faça fugir a solidão
Talvez uma torrente que me abrace
E surja de encontro a minha imensidão .
Se pelos mares que navego
Pelas arestas que espreito
Vejo somente ao largo o teu coração
E fujo das lembranças que afligem minha alma, caindo de volta na solidão ....
 
Amplexo do meu ser se desatina
Mergulha em mim fazendo sobressair a menina
Oculta na escuridão vencendo assim a rotina
De mulher superior e forte, mas sem rumo ou norte!
Abraça-me forte!
Guia-me pelos caminhos que perdi
O olhar se desvaneceu, se perdeu
A luz se apagou no fundo do abismo .
Deixa-me embalar memórias
Acalentar sonhos de outrora
Da terra do nunca achada
E pelas estradas da vida desviada ...
Terra onde nosso amor aconteceu!
 
Wanda Ayala
 
******
 
138-Porto da Solidão
 
Onde estará o rei sol...
Escondido no horizonte
Não veio dar-me um bom dia
Tão pouco uma boa tarde...
Quiçá algum feiticeiro
Confinou-o numa grade
Apagando sem clemência
O seu brilho, e a claridade...
Onde estará a lua cheia
Que no céu já não flutua
Creio que brigou com a noite...
Ao mostrar-se fria e nua
De certo, pôs-se a minguar...
E caiu nas águas do mar
E perdeu-se no oceano
Onde não se pode encontrar
Levando consigo as ondas...
Do meu mar, meu doce mar
E lá ficaram em silêncio
Nas rochas a se entoucar
Revoltada a fina areia
Resolveu-as expulsar...
Onde estará a leve brisa
Que já não vem me afagar
Deixou presos meus cabelos
Já não podem esvoaçar...
Onde estarão os passarinhos
Não os vejo mais voar
Abandonaram os seus ninhos
Nas árvores do meu pomar
Já não ouço mais o canto
Do meu meigo sabiá...
As flores perderam as cores
Seus olores, seus encantos
Murcharam de tanta dor
Despedaçadas em prantos
Os rios mudaram o curso...
Já não correm para o mar
Os mangues estão morrendo
Sem água para os regar
Que triste desilusão
Perdi enfim o meu chão...
Navego em outro planeta
Distante da multidão
Num antro frio e sombrio
Sem alma e sem coração
Por conta de um só destino
O porto da solidão...
 
Pequenina
20/07
Região dos Lagos - RJ
 
******
 
139-SOLIDÃO
 
HOJE ME SINTO SÓ
COMO UM NAVIO ABANDONADO
EM UM ESTALEIRO, AO ESQUECIMENTO.
E PERGUNTO AO VENTO: -- PORQUE NA VIDA
ESTOU TÃO SÓ?...
 
HOJE, EM MEIO AS MATAS E O MAR
ENTRE FLORES E PÁSSAROS
O VENTO AS VEZES ME CONTA
QUE NINGUÉM SOFRE POR SOFRER
MAS DISSE TAMBÉM, PASSADO É PASSADO
E QUE ÁGUAS PASSADAS NÃO MOVEM MOINHOS.
 
PORQUE NESTE MOMENTO ME SINTO TÃO SÒZINHA,
ENTRE PENSAMENTOS E O DESTINO
DE QUEM VIVE POR VIVER?...
 
ME DISSE TAMBÉM, PARA NÃO CHORAR
POR NÃO VER O SOL,
POR QUE AS LÁGRIMAS ME IMPEDIRAM
DE VER AS ESTRELAS.
MAS COMO POSSO SER IMPEDIDA DE VER AS ESTRELAS,
SE NEM O DIREITO DE CHORAR EU TENHO?...
 
ME DISSE TAMBÉM PARA SER FORTE,
POIS DE QUEDAS E OBSTÁCULOS,
TAMBÉM É CONSTITUÍDA A VIDA.
MAS COMO CURAR UMA FERIDA
QUE SE ALOJOU DENTRO DO PEITO,
ME FAZENDO TANTO SOFRER?...
PORQUE ME INCLINAR DIANTE DE TUDO
ME FAZENDO DE PRIMITIVA,
POIS NESSE MUNDO, TENHO POUCA RAZÃO DE VIVER?...
 
Hellenice Soares   ( Angelnice )
 
******
 
140-NA CALADA DA NOITE!
José Geraldo Martinez
 
Meu amor, na calada da noite,
quando rompem os meus muros,
tu vens como vendaval em meu quarto escuro.
Derrubando quantas lembranças  no temporal !
E teus beijos passam por mim feito enxurradas .
Eu  que mal tive no desabafo minh'alma lavada .
Onde tu mal me esfriaste os braços nesta madrugada !
Passas por mim torrente
como as águas de um rio !
Passas por mim ausente ...
deste leito frio .
Sou um ribeirinho .
Um náufrago em meus lençóis
de linho ...
Tu és um  vendaval gigante
que me leva em teu rodamoinho.
como um cisco ao vento .
Leva a mim apenas em teu caminho...
junto com os meus lamentos .
Leva a mim no tempo
que passa !
És pedra na vidraça ...
Que me expõe por inteiro !
A qualquer sorte desta dor ...
sou prisioneiro .
Na calada da noite ...
Calo-me !
Vejo passar do nosso amor as páginas ...
Na calada da noite ,
 calo-me !
Deixo falar por mim as lágrimas ...