181-PROCURA
 
Ontem éramos
o amanhã
cheio de esperança.
 
Hoje
sou eu
  só ,
infinitamente só;
 
olhando o espaço
e te buscando.
 
Onde estás
que não te encontro?
 
Em que estrela
você brilha,
 
na
lua,
na
rua,
 
ou na luz do meu olhar?
 
 
******
182-Solidão
Vania de Castro

Solidão...
Solidão que toma conta de mim
Toma conta de minh’alma
Acalma
Ampara
Mas não pára
Cubro-me com o véu branco
E saio em pranto
Dissipando o dissabor do santo manto
Persegue-me ao ouvir o lamento
Dor sem tempero ao vento
Lenço molhado de lágrimas
Que corroem meus pensamentos
Tormento
Solidão
Eu a escolhi
Eu a abracei
Em seus braços espreguicei
Levar me deixei
Agora... solidão
Consolidada está
Paixão
Compaixão
Diante do sofrer calado
Meu eu quieto fica
Para dar lugar ao seu
Ouço
Fico no calabouço
E aguardo o recomeço

Vania de Castro – Santo André – São Paulo – Brasil
26.julho.2006 – 22h30
 
******

183-SOLIDÃO

Eu ainda não a conhecia direito,
Talvez na infância ela tenha se apresentado em algum momento de medo
Mas eu devo tê-la ignorado, porque a solidão de uma criança
É facilmente afastada por um colo, um amigo, uma bala....

Ao longo dos anos ela sempre voltava
Mas a vida que havia em mim ainda me ajudava
A adolescência sempre a afastava
Mas ela queria ficar...persistente
Lembro que aos 13 anos eu disse
Puxa nunca perdi ninguém, sou feliz...

E a matreira ouviu e sorriu e disse:
Serei sua única companheira
Tempos mais tarde ela finalmente se declara
Agora vim para ficar, cheguei com todas as malas

E em ânsia frenética...tentei e tentei me afastar
Mas nada....ela estava decidida
Ficarei em sua vida
E vinha com seu tolo consolo....
Minhas lágrimas secar

Quantas longas noites quentes ou frias...
Noites que ela a mim se aconchegava macia
E em silêncio ao meu lado dormia
Fazendo-me incomodar quando raiava o dia...ela estava lá
Em outras noites porém, em grande desespero fazia gritaria

Pare de chorar...eu não vou te deixar....ela dizia
E a longa noite se estendia e em seus gritos de agonia
Claramente me falava,  sou sua única companhia
E para onde me virava naquela cama gelada
Lá estava ela gritando desesperada, a me fazer piorar

Realidade única, quando ela vem....vem pra ficar
Ah! Solidão que às vezes é tão desejada...
Ah! Solidão que por vezes maldita, jamais cede seu lugar
Ah! Solidão agonizante que te faz presente na alma
A ferida que não quer sarar, do abandono daqueles que você
Tanto desejou amar. ....

Sei que um dia, sentada em meu túmulo, soprará minha lápide
E em meio a poeiras escreverá
Saudades da sua grande amiga e única companheira
Que jamais de esquecerá.

By   Rosana Bittencourt   27/7/2006
 
****** 
 
184-Solidão,
 
de ti não queria falar,
mas bates tanto nas portas do meu coração,
que não há como não te escutar!!
 
rivkahcohen
 
******

185-Tardía Soledad

Solitaria tarde…, bajo añosos árboles cubriendo huesudas manos
tejiendo nervios, mirada perdida en el túnel sin fin….
sus ojos brillantes, húmedos por el recuerdo de felices momentos…
enhebrando tiempos pasados , tiemblan sus manos, añora el calor de su hogar
de los hijos que dio vida , de aquellos que la dejaron allí...

Caen hojas en esta tarde de otoño, en cámara lenta se va la vida…
rozan ya el suelo las ocres hojas de un árbol que muere en pie…
dejada a su suerte en este sitio donde no es su hogar…
no esta su canasta de bordar, ni las flores de su ventana, ni la música del mar….
prisionera de un absurdo amor…, de ingratos hijos que amorosamente cuido,
cuando sus pies cansados de andar y sus manos fatigadas de trabajar
dijeron ¡ ahora cuídame más ¡ , le arrancaron el corazón para llevarla
a una jaula humana sin amor ni paz …

Reflejos dorados combinan en la soledad de la tarde , en la soledad de la vida …
ocaso triste de la madre abandonada que mira caer hojas deshojando minutos
del viejo reloj de la vida …que lentamente su tiempo va agotando …
luego serán tardíos momentos de llanto …,
y la tarde será soledad absoluta…

Marcelo Romano
Locura poética
www.locurapoetica.com
 

 Portugués
 
TARDIA SOLIDÃO

Solitária tarde...baixos, anosas árvores cobrindo ossudas mãos
entrelaçando nervos, olhada perdida, no túnel sem fim...
seus olhos brilhantes, úmidos pela lembrança de felizes momentos...
engranzando tempos passados, tremem suas mãos, com saudade do calor do seu lar...
dos filhos que deu vida, de aqueles que a levaram ali...

Caem folhas nesta tarde de outono, em câmara lenta se vai a vida...
roçam já o chão as ocres folhas de uma árvore que morre em pé...
deixada a sua sorte neste sitio onde não è seu lar...
não está a cesta de bordar, nem as flores de sua janela,
nem a música do mar..
prisioneira dum absurdo amor...de ingratos filhos que amorosamente cuidou,
quando seus pés cansados de caminhar e suas mãos fatigadas de trabalhar
disseram... agora me cuidem mais!..
lhe roubaram o coração para levar a uma gaiola humana sem amor e sem paz...

Reflexos dourados combinam na solidão da tarde,
na solidão da vida...
ocaso triste da mãe abandonada que olha cair
folhas desfolhando minutos...
do velho relógio da vida... que lentamente seu tempo
vai esgotando...
logo serão tardios momentos de pranto...
e a tarde será solidão absoluta!...

Marcelo Romano
Locura poética
www.locurapoetica.com
 
******

 

186-SOLIDÃO
 
Solidão que me acompanha, que se prende em meus pensamentos.
Que me faz ausente, que me faz demente, que fere a alma e que nunca acalma.
Solidão que me empurra contra a vida dura e num vazio imenso, me desfigura.
Solidão vá embora, sem censura, sem loucura, me cura a alma desta fera escura.
Haverá um dia que com a luz do seu amor terei a plenitude da paz e nunca mais me sentirei vazia,
como a tela branca que principia a pintura de um lindo dia.
 
MARIA INÊS POSSOLO
 

 ******

 

187-SOLIDÃO ACOMPANHADA

 

POR UM MOMENTO O MUNDO PAROU....
PROCUREI SEUS BRAÇOS EM VOLTA DE MIM...
E ELES PARADOS...
GRITEI POR UM CARINHO..
ELE SE FOI NO SILÊNCIO
SOZINHA NO SILÊNCIO, PEDI UM SORRISO
E ENTRE TANTA QUIETUDE
VI SEUS LÁBIOS SE MOVEREM NUM SORRISO DE AFETO
SOZINHA PEDI SEU ABRAÇO, E SENTI O CALOR DO SEU TOQUE
NO SEU ABRAÇO SENTI, ME SOZINHA...
MAS MEU CORAÇÃO SE ACALMOU
DE VOLTA AO SILÊNCIO PEDI PRA SER AMADA...
E NO MEU SILÊNCIO......ADORMECI NO SEUS BRAÇOS...
MAS SEM DEIXAR DE SONHAR EM SER AMADA.
 
HERMINIA DALAGO (28-7-06 
OBS;  A PIOR SOLIDÃO É A SOLIDÃO ACOMPANHADA. BJOS A TODOS E OBRIGADA
 
 ******
188-Acabou-se a solidão!
 
Andei só, sem destino a demandar
a alma, minha nobre companheira,
por caminhos estranhos, a divagar,
e ela constantemente á minha beira.
 
Sempre me requestou desesperada,
e eu, embotada de olhos cerrados,
recusando mirar a verdade ansiada,
e buscando em desusados lados...
 
Até que do sul de outro hemisfério,
acudiu adejando, plena de mistério,
no reencontro, identificou a minha!
 
Acabou-se a solidão, veio o refrigério,
Espíritos unidos, plangente o saltério,
em nosso diáfano ninho, tal avezinha!
 
Arlete Piedade - Fada das Letras
www.mundopoeta.net/fadadasletras

 

******

 

189-Solidão...
José Carlos Barbato
 
Onde escondi minha amada
Linda menina morena
Indo pela vida, na busca eterna do amor.
Dá-me a mão menina, e não fica solitária,
Anda tenho pressa para  Amar-te,
Onde tenho vida para te querer

A saudade de você me traz solidão
Uma solidão sem fim
Um aperto no coração
Uma dor na alma
Uma tristeza sem fim

Vem Amor,
Menina Natureza,
Menina Morena,
Vem  Amar-me!
Eterno Amor!

 

****** 

190-Paixão Solitária


Sei que fugiste sim
Da minha indomada emoção.
Que importa:
afaga-me o pensamento
que segue-me com olhos do coração.
Querendo somente sonhar
Procuro o isolamento,
E mais perto de mim,


 fica o teu olhar então.
Quem já te quis assim


 de modo tão violento?
Quem te amou de forma voraz,
em insana exaltação?
Vigiando esses sentimentos
Meus sentidos,


feridos de morte, estão.
Ausente é a  vontade de fugir desse tormento
Que fita-me piedoso, o coração,
Por ser indefesa nesse querer violento,
sou eterna cativa,


 da solidão.


DoraDBrazil
   (28/07/2006)

 

******