211-A SOLIDÃO E O SILÊNCIO

Vi a solidão e o silêncio tão longe e tão perto
Como um oásis oculto distanciado no deserto!
No mar estavam ambos numa grande armada…
Contornavam ao longe uma ilha escarpada!

A solidão e o silêncio são almas gémeas…
Eternos companheiros de viagem!
Chegam como a neblina sem se anunciar…
Partem como o vento sem o comunicar!

A solidão vem dissimulada, triste e distanciada…
Já o silêncio é mais subtil na sua jornada!
Ambos são essenciais para a harmonia
Com eles aclaramos as dúvidas de cada dia!

Rui Pais
12/06/2006

******

212-POETA PRESO


Tenho uma prisão
Nenhum corpo quente
Nenhuma boca
Nem olhos de gente
Tenho grades na mão
Não escolho a toca
Ninguém olha e pouco sente
Eu tenho uma visão
Dentro de mim
O mar passa
Livre com suas ondas
Eu tenho um coração
Batendo cheio assim
De vontades profundas
Mas tenho medo e solidão
Eu vi a massa
O bolo, a multidão.
Minha fome pirraça
Triste e só comigo
Perco toda graça
Nem um olhar irmão.

Walterbrios
4/8/2006

******

213-Solidão!
helena fragoso

Solidão é estar no mundo sem saber
Onde encontrar sua estrela seu caminho
É esta estrada longa percorrer
Sem esperança sem amor, num desatino

Solidão é o que trago no meu peito
Juntamente com a angustia bem latente
De apenas ter meu pranto como leito
Vivendo ao redor com tanta gente

É não ver o sol brilhar no firmamento
É sentir-me tão sozinha tão descrente
Ter na alma um vazio de sentimento

É ver o mar as estrelas sem paixão
É nem saber o que sou neste momento
Tudo isto para mim é Solidão!

******

214-PROFUNDO MAR
autor: Kleber Jésus Nunes (sá nuñez)


Profundo mar
ultramar.
Amarelo, o sol.
Azul, o céu.

Matizes esverdeados
nas ondas bailando
Vermelho esquentando
Azul esfriando
a alma da gente.

Vagas, imensas vagas no mar.
Vadias vagas vagam
Vagas vadias, vagando.
Ilusões tão vagas,
nas vagabundas vagas.

******

215-Restaurando a tela só

Hamilton F. Menezes
www.escritorhamilton.net

Solidão pode ser a permissão do individualismo consagrado pelo tempo.
O que você fez para mudar este quadro obscuro?
Restaure a tela do seu destino, pinte o sete, setenta ou quem sabe os oitenta que tal noventa?
Se passar disso é lucro, principalmente, se estiver rodeado de pessoas que lhe querem muito bem na idade em que existir!!! Sua tela sempre será contemplada em qualquer tempo com respeito e consideração. Afinal a solidão faz parte do ser, mas não permita estar só, partilhe sempre o melhor de você!!!

******


216-SOLIDÃO...
Rosângela do Valle Dias e Alceu Sebastião Costa


Só...Solitário...Solidão!
Expressões de sentimento,
no espaço e no tempo,
tão freqüentes!


Sonhos em solidão,
emoções de solitários.
Solidão a dois,
solitários de compreensão.


Você,
que se crê só,
escute o que lhe digo agora:
É só seu esse mundo,
"perfeito e único!"


Abra seus braços e se abrace...
sinta a energia existente!
Enxergue o seu interior...
não pelo avesso, mas pelo direito!
Não permita que o vazio o confunda.


Perceba a Natureza !
Ela é Deus em você!
Se com Ele,
como explicar então tal solidão?


Se você pensa, age e crê...
dança, canta e sente...
não conte com alguém,
para ser o que é!
Viva com você mesmo e
assuma a sua multidão!


Momentos a sós...Opção humana!
Livre pensar e...
Independer do outro para ser feliz!


BH/MG e SERRA NEGRA - SP

BH/MG e SERRA NEGRA - SP

******


217-Solidão!


Quem poderia estar nas frestas das portas, de lado
quase invisível, mas perceptível, sem cor , sem nome
Quem entra na madrugada , sem avisar determinada
em lembranças fazer sua mente navegar em sonhos
Navegar em mares agitados e sucumbindo em sua alma
uma sensação de um vazio ...
São os ecos de vozes que nos elevam em pensamentos
São palavras ditas, ouvidas, escritas, guardadas, e ainda que
se rasgadas do papel, insistem em cada batida do coração
Quem poderia dizer que nunca foi visitado por sua melodia
chega sem avisar, sem critérios, e para mais nos confundir
se instala em meio a locais com tantas presenças humanas
Mas...
Você não tem forma, nem cheiro, nem sabor, seu nome é
Solidão! Necessária para pensar, para orar, para meditar
Trazendo sua face mais doce, mais amena, a sua face
de uma solidão temporária, que engrandece, fortalece.
Mas...
Quando, tú, solidão reverte em negro, e aplica seu olhar
amargurado, trazendo lembranças inesquecíveis, como
então você se torna cruel! E traz para brindar contigo
a dor da saudade, das partidas irreversíveis, das palavras
ouvidas, mas de bocas que se calaram e já não falam mais !
Solidão, quando então seu lado negro sai em disparada
percorre vidas, lanças desejos profundos, sentimentos
lapidados pela dor, querendo fugir do seu encontro
Então, me desculpe solidão, não quero fazer um brinde
com você, não vestida assim , porque assim suas vestes
escondem uma espada que fere e sangra !
Parte, com seu lado negro, e deixa apenas tuas matizes
claras, que você seja apenas sentida para trazer
paz, quando for convidada pelos corações agitados
mas, jamais imposta pela dor, que apenas pede que
Partas e esqueça o endereço do triste coração.


Autoria: Gisley Maria Monteiro Vilela Frota.

******


218-ASSIM COMEÇOU NOSSA HISTORIA...


Como a velocidade da chuva que cai e alaga o chão,
Entrando no mais profundo da terra fazendo brotar a flor,
Da mesma forma começou nossa história de amor...
Internet... Sala de bate papo... Dedos que teclam... Troca de palavras...
Sentimentos que começam a fluir...
Ah! O primeiro encontro... Inesquecível e imprevisível...
Olhares trocados, surpresas... Gestos de carinho. O primeiro beijo...
Hum... Este foi até no mais profundo do meu ser, conseguiu as chaves do meu coração,
E sem pedir licença abriu e entrou... E lá se alojou...
Corpos ardentes se unem formando uma chama insaciável...
Mãos que deslizam pelo corpo, arrepiam a pele... Que por sua vez transpira de emoção...
De desejo... De tesão....
Gemidos... Movimentos de corpos na cama...
Beijos... Prazeres que surgem, sorriso ameno... Paixão incontrolável...
Sentimentos que fluem, como uma terra que foi preparada e arada para receber a semente,
Assim é nossa história, a cada dia arada com confiança... Esperança... Paixão...
Intimidade... Reciprocidade... Gozo... Emoção... Probidade... Satisfação... Alegria...
Dando-me inspiração neste dia...
Águas de chuva caem... As ruas parecem estar vazias,
Sinto que tudo em minha volta parou...
Para escutar nossa história de amor...

Elen Viana-teóloga e acadêmica em letras; cronista e poetisa.
Americana-sp
Escritora_teologa@hotmail.com



******


219-SOLIDÃO
Naidaterra

Amei demais um dia e concentrei-me
num só ponto, ama-lo para sempre...
E cismou meu coração e minha alma
em plena comunhão...
Amei! dedicação extrema ao sim em
todos os sentido da minha vida...
Um dia, a pena que por muito tempo
bailou no espaço toca o chão...
Meu mundo desaba, não me acho,
não me reconheço, não sei quem sou...
Deparei-me com a solidão, um mundo
vazio de medos e insatisfações...
O que é sol, luar, estrelas e o que
são portas e janelas...
Odiei o meu presente e fui em busca
do futuro, desejei ser tocada
novamente pelo vento doce que
outrora havia me tocado...
Não posso estagnar, minha alma
inquieta teme que eu a liberte e a
empurre para o abismo...
E vou em busca deste vento que
sopre minha pena para o espaço
e a faça flutuar novamente, mesmo
que eu esteja só...

Naidaterra
ag/2006
sampa

******

220-Terra de Gigantes



Pátria minha, terra amada.
Sonhada e estimada
Por todos brasileiros
E. estrangeiros.
Quilômetros percorri
Anseios sofri
Porém... Não desisti.
Na minha simplicidade
Não existia ambigüidade
Pensava que todos vivam
Em perfeita igualdade.

Porém ao percorrer suas ruas e avenidas
Notei que estava numa cidade muito definida
Desenhada e bem traçada
Só lhe faltava... Honestidade e lealdade.
Limusines enfeitam as ruas.
Ternos famosos, perfumes importados.
Relógios de ouro, sapatos de couro.

Falam tanto da Educação
Porem eles não tem noção
Que para discursar
É preciso estudar.
Não sabem usar nem a gramática
Oratória? Nem pensar!
Pagam para alguém montar
O discurso que vão falar

Homens chegam para representar seu estado
Simples e humildes, falando mansinho...
Porem no decorrer do caminho
Tornam-se arrogantes e assaltantes.
Trambiqueiros e muito ligeiros,
Roubam do brasileiro, o pouco dinheiro.
Enviando para o estrangeiro.
Não possuem sentimentos, só argumentos.
Eu? Peguei minha sacolinha
Voltei pra minha cidadezinha
Decepcionada e desacreditada
Pois agora vou pensar bem em quem votar
Para meu dinheiro não criar asas e voar...

Elen Viana-
Teóloga e acadêmica de letras.
19-96960688

******