61-Antídoto pra solidão
 
Quando te olho sinto a cor ternura
Vejo no teu olhar um brilho triste
Dois pontinhos negros e lindos
Que me falam: Creia em mim!
 
Nesse momento afago o seu rosto
Na esperança de te aliviar
Acaricio os seus cabelos finos e negros
Num gesto de ternura, te beijo com amor
 
Um lindo ser livre de todo machismo
Numa entrega  confessa pra mim
Meu Amor...
Nunca tive um carinho assim!
 
Sua voz de carinho me emociona
Me faz acreditar que devo te amar
Hoje, sinto saudade de você
Lembrei desse olhar

És o meu antídoto 
Tens a substância e a mistura
Que neutraliza os efeitos
Desse veneno chamado
....

Solidão!

Eliane Gonçalves***
 
******
 
62-SOLITUDINE
 Amarilis Bernacchi
 
Será que fica mais bonita
esta palavra em italiano?
Será que o coração não entende
 e por isso sofre menos o desengano?
 
Ledo engano,  ilusão a toa...
Solidão não se conhece pela
palavra ou por idioma....
Qualquer coração sofrido sabe o
que é solidão  e quanto ela magoa!
 
É dor que rasga o peito...
É tristeza que não se consegue engolir
É dissabor que nos leva a chorar e sentir
 
Não há nada que descreva a
solidão tão bem quanto o nosso silêncio...
Não adianta explicar... A minha solidão
ninguém vai entender... nem a sua...
 
Parece fácil, mas não é!!!!
Solidão?
É morte, é tristeza é arrastar-se
no chão, querendo afundar cada
vez mais  em busca não se sabe
do que.. . e que dificilmente
se encontrará.
 
É vontade de se perder...
Difícil  de descrever...
De morrer sem saber por que
Chegar ao fim sem mais consideração...
 
Isso é a minha solidão...
 
AB
 
******
 
Original in german
 
63-SOLIDÃO
Ich fühle mit dir
 
Tod einer Seele
Niemals kehrt ein gestorbener Traum zurück,
kannst du nicht erzwingen verlorenes Glück.
Zurück in einem Nichts, das Kälte gebannt,
vergebens wartend auf helfende Hand.
Innerlich sterbend, wo Liebe einst war,
Sehnsucht, die ruft, kein Nebel wird klar.
Glauben verloren, Vertrauen entrissen,
aufgegeben, und das Herz ist zerschlissen.
Kalt gefriert ein eisiger Wind deine Träume,
verteilt in dir Schmerz wie verwachsene Bäume.
Seelentod, der nach Liebe doch schreit,
und trotzdem wissend, dem Untergang geweiht.
Einsam lähmend rinnen Tränen ins Herz,
doch sie spülen nichts fort von diesem Schmerz.
Umsonst Wege gegangen, nur Einsamkeit,
wartend verharrend auf  eine Unendlichkeit,
kein Wort bringt mehr Trost, Vergessen,
leer in dir Kammern, wo Liebe gesessen.
Hoffnung zerfressen, unerreichbar Sterne sind,
umsonst wartend, fühlst dich wie ein einsames Kind.
Abgrund, so tief, das keine Ende zu sehen,
und vergebliches Begehren ist nie ruhig.........
Ich fühle mit dir.
 
©by MoSch
2004
 
 
em english
63-Feel  with you
 
Death of a soul -
never returns a died dream,
you cannot force lost luck.
Back in a nothing, that cold banned your heart,
in vain waiting for a helping hand.
Internally dying, where love once was,
Longing, those calls, no fog becomes clear.
Faith lost, Confidence is gone so far,
given up, and the heart is broken, no hold.
Coldly an icy wind your dreams freezes,
distributed in you pain like deformed trees.
Soul death, after love walk nevertheless,
and nevertheless knowing, the fall is deep.
Lonely end, streets are going, tears in the heart,
but they do not rinse anything away from this pain.
In vain ways gone, only lonesome isolation,
waiting remaining for an infinity,
no word brings more comfort, Forgotten,
empty in you all chambers, where love sat.
Hope lost so much, stars are unattainable,
without a reason, feel you like a lonely child.
Abyss, so deeply, to see no end,
and futile entreaty is never quietly ........
I feel with you.
 
©by MoSch
 2004
 
em potugues
63-Sensação com você
 
 morte de uma alma -
 nunca retorna um sonho morrido,
você não pode forçar sorte perdida.
Para trás em um nada, esse frio proibiu seu coração,
em vão esperando uma mão de ajuda.
Internamente morrendo, onde o amor estava uma vez,
Ansiar, aquelas chamadas, nenhuma névoa torna-se desobstruída.
Fé perdida, A confiança é ida assim distante,
dado acima, e o coração é quebrado, nenhuma preensão.
Fria um vento gelado seus freezes dos sonhos,
distribuído em você a dor como árvores deformadas.
Morte da alma, após a caminhada do amor não obstante,
e não obstante sabendo, a queda é profunda.
Extremidade só, as ruas estão indo, rasgos no coração,
mas não enxáguam qualquer coisa longe desta dor.
Nas maneiras vãs idas, somente isolação solitária,
esperar restante por uma infinidade,
nenhuma palavra traz mais conforto, Esquecido,
esvazíe em você todas as câmaras, onde o amor se sentou.
Esperança perdida tanto, as estrelas são unattainable,
sem uma razão, sensação você gosta de uma criança só.
Abyss, assim profundamente, para não ver nenhuma extremidade,
e o entreaty futile é nunca quietamente ........
Eu sinto com você.
 
©by MoSch  2004
 
******
 
64-Doce Ilusão
 
Esta doce ilusão.
Que me faz  de novo sentir mulher
De pensar ter  você
De sentir teu corpo de  encontro ao meu
Sentir teu coração palpitar
Ansioso  para me  amar de sentir tua  boca  na minha
Em um beijo louco desvairado
Esta doce ilusão de querer ouvir tua voz ao meu ouvido Sussurrando
Minha querida
Ah!Como tenho medo desta doce ilusão
 
by Siherley
 
******
 
65-Solidão
Tarcísio R. Costa
 

Eu sou um poeta da solidão...
Das nuvens de bronze
Desfeitas em lãs, que se foram,
 deixando saudades...
 
Não mais conheço no presente, a verdade,
Vivo imerso na saudade,
Que me consome de dor...
 
Sou do mundo da solidão,
Convivo com os colibris nos bosques de sonhos,
Entre borboletas...
 
Rasgo-me nos espinhos, que protegem as flores.
Sinto falta dos carinhos
Que me davam os meus amores
 
Cadê os meus amores? Deixaram o meu coração...
Vou cuidar do meu jardim, é melhor para mim,
Fugir da solidão.
 
Tarcísio Ribeiro Costa
 
******
 
66-S O L I D Ã O
Célia Lamounier de Araújo
 
Cidade antiga
Cidade nova
E a gente aqui
Chegando
Para ficar.
 
Gente passando.
Gente que passa
Olhando sem ver
A gente que chega
Que chega e crê
 
Na cidade nova
Na gente que passa
Que olha e não vê
Da gente que veio
A desolação.
 
Cidade nova
Cidade antiga
Gente sentida
Falta de amigos
e... solidão.
 
 
******
 
67-SOLIDÃO
António Castel-Branco
 
Solidão... sentimento que destrói
a mais férrea paixão como uma chaga,
minando sorrateira como praga
um pobre coração que se corrói
 
por não saber que o mundo se constrói
de amor cujo carinho sempre afaga,
e mesmo quando se usa uma adaga
mostramos que estar só é ser herói.
 
Se nessa solidão que te apavora
centelha de um amor sempre existir,
segura-te com força a essa escora
 
e nunca deixarás de resistir,
qual astro que regressa a cada aurora
sabendo que o melhor está pra vir.
 
Sintra, 15/07/2006
 
******

68-Solidão em outra versão
 
Em meu aconchego,
lhe peço,
 neste momento incerto,
confesso.
Quero estar só!
 
Revejo minha vida, sem temor,
dramas e dor.
Busco em mim, desacatos em frente
aos retratos que a vida me impôs
 
Na fé e esperança, fiz-me à mulher
forte, lançada com bravura,
arrojada de ternura.
Nas guerras e lutas do cotidiano real,
erguendo a espada pelo bem..
Rejeitando todo o mal.
 
Na solidão encorajei-me.
Fortaleci-me.
Criei raízes em solo robusto
arejado pelo amor
Fiz do medo, contradição
provando o ato, aceitando o fato.
 Solidão em outra versão.
 
Silvia Trevisan
Curitiba- Pr
16/07/2006
 
****** 
69-Diálogo com a Solidão
 
Não quero mais viver com a   solidão...
e ela  que insiste em ficar....
Mas meu coração decidiu
Com ela não mais falar....
 
Sabe Solidão.....
voce me acompanhou por algum tempo
Dividi com voce minhas magoas,
Te agradeço, mais segue seu caminho.
 
Hoje quero deixar meu coração aberto
Aquecido por um grande amor
Meus olhos brilhando ao sentir o seu calor..
 
e voce solidão não pode ficar....
 
Dizem que a solidão vive na alma do poeta
Não quero voce incrustada na minha...
A alma do poeta vide de ilusão
E não será voce solidão
que irá viver na minha .
 
Tenho sonhos de amor e ternura
e vou viver esse sonhos
te enviando agora...
vai solidão para bem longe!!!!
 
Pois
 estou amando....
estou vivendo um sonho
um grande e encantado
sonho de amor!!!
 
Tek@ Nascimenrto
Lençois Paulista-SP
16.07.2006
 
******
 
70-(I) Solidão...
 

Solidão... quem dera...
já disseram que é fera,
amiga das horas,
prima-irmã do tempo,
mas, na verdade,
solidão é apenas um estado letárgico
aonde nos buscamos
no mais íntimo do nosso Ser.
 
Akasha De Lioncourt
Publicado no Recanto das Letras em 14/07/2006]
 
(II) Solidão
 
A solidão que sinto precisa acabar,
Pois povoas meu corpo, minha mente,
Meu coração está repleto de saudade,
Precisa de ti para estar sempre contente...
Vem!! Só tua presença me dá a paz
Que necessito para ser feliz...
Akasha De Lioncourt
Publicado no Recanto das Letras em 15/04/2006
 
Akasha