71-AUSÊNCIA
 
No céu pintastes estrelas
Pra minha noite iluminar
A lua inciumada ao vê-las
Enfeitou-as com o luar .
 
Tudo aqui ficou tão lindo
Avistei  sombras no chão
Imaginei meu amor vindo
E saciando minha paixão.
 
Mas os astros com certeza
Não quiseram permitir
Se fez presente a tristeza
Pois você não pôde vir...
 
S.Holtz
 
******
 
72-SOLIDÃO QUE ESCONDE
 
de trás da alegria aparente,
a alma dilacerada, o coração sanguento
de emoções que não compartilham, não multiplicam
beijos, abraços que pedem socorro,
paz, carinho e amor
não somente em segundos, sim para a eternidade
gestos de luta, sobrevivência,superação
suportar mais do que poder ser vivido
viver mais intenso o possivel,
além disso esconder o que poucos vêem
e mostrar o exemplo, o carater  de um vencendor
solidão que esconde atrás de tudo que não aparenta
lhe acompanhar, mas faz sofrer aquele sente.
 
"POETINHA"ANDRÉ BARBOSA NUNES
 
******
 
73-SOLIDÃO ! 
                          (Magy)
 
Solidão não rima com saudade !
A melhor rima pra SOLIDÃO
sempre será o Não.
 
SAUDADE ... eu gosto de sentir
mesmo que me arranque áis.
Solidão ... porém , jamais !
 
 Não vou mentir pra vocês,
 Por vezes , essa senhora
 me acena de forma cortez !
 
Porém , consciente  dos estragos
que ela  sempre fez ,
na minha vida  SOLIDÃO
não tem hora , nem vez !
 
Goiania 16/07/06
 
******

74-Sozinho
Faffi...
 (Silvia Giovatto)
 
No meio da noite,
acordo assustada...
Procuro acalmar meu coração
Esboço um sorriso,
canto uma canção
mas qual nada , ele não se
acalma não..
bate forte se acelera,
quer saltar do peito
mas não tem jeito..
volta a bater calminho
dentro do  meu peito
se acalma Sozinho o pobrezinho.
Lá fora ainda é noite
o vento canta e sacode minha janela,
a lua ainda está no céu a brilhar
Daqui a pouco o dia acontece,
o sol aparece...e
tudo volta ao seu lugar.
Abro a janela,
vejo uma estrela cadente
faço um pedido,
imploro para ela me escutar...
quero ser feliz, quero amar...
ainda que sejam poucos,
quero meus dias aproveitar,
quero ver as ondas do mar em rebelião
me molhando, lavando minha alma
me deixando calma...
Para uma nova noite de solidão.
 
******

75-SOLIDÃO EM MEIO A TANTOS
 
As madrugadas são frias, quando mesmo acompanhada
o coração se sente só.
O sono não vem e o medo de te encontrar somente nele
Impede-me de dormir.
Porque perturbas meu  sono e sonhos,
E quanto abro meus olhos não te encontro.
Que fazer agora com este sentimento que me devora
E a ele não posso não posso me entregar.
Ingrato coração volte a realidade
Não maltrate mais este pobre peito
Que sofre por não poder amar.
Um amor que seria puro é lindo
Que luz a meus dias poderia dar.
Mas que veio em hora errada,
 Mostrar que posso ser amada.
Me fazendo em meio a tantos,
Com o peito em prantos
Na mais pura solidão estar.
Agora te imploro enxuga esta lagrima que eu choro,
Não maltrate e arranca-me esta dor.
Mesmo que eu saiba que também estou sendo amada
Mas a minha jornada, preciso continuar.
Continuar acordada para esta vida
que por DEUS me foi oferecida
e nela tenho que terminar.
E quem sabe um dia ao longo desta estrada
nossas vidas podem mudar.
E se nesta vida foi escrito
Que é assim que tenho que estar
Só peço força para poder continuar
Até uma outra vida chegar.
Pois pequeno é o tempo
Que com contigo eu quero estar.
A Eternidade! Pois eternamente vou te amar.
E a solidão em meu peito numa mais irá entrar.
“Aos teus pés, senhor de minha vida,
 deposito minhas armas e entrego meu coração"
 
Nádia Figueiroa( @ Ruiva)
 
******
 
76-Encontro com a solidão
 
No silêncio da noite
apenas as batidas do coração
descompassadas... cansadas...
O vento frio lá fora... congela a alma
Solidão... gelado sentimento
Que mostra a todo o momento
um ser ilhado na multidão
perdido em suas ilusões
absorto em seus tormentos
na procura desesperada
por pessoas ou divertimento
que aliviem o abandono
ou a sensação de sofrimento
Nada encontra, tolo!
Não tem tempo... nem alento,
na  sua solidão,
de olhar para dentro
no seu coração... no fundo de sua alma
e perceber...  está ali , a todo tempo
a cura para seu padecimento!
 
Lina Rocha
 
******
 
77-Solidão...e suas rimas
 
Na solidão,
no coração e na mente vazia
o errado fica certo,
o torto parece estar correto.
É pior que a paixão cega
Aquela pessoa que nos nega
não é tão mau na verdade...
começamos a sentir saudade...
choramos...
não sabemos porque, mas nos lamentamos.
A solidão,
que rima com depressão, tensão, escravidão...
Escravidão do angustiante sentimento,
refém de todo mau pensamento,
um náufrago a deriva num oceano melancólico de incertezas,
após uma noite de intensas chuvas de ira e rajadas de tristeza...
Desespero torrencial, caindo sem parar...
Levando-nos cada vez mais a errar...
Vagando por lugares escuros...
mente repleta de pensamentos impuros...
Porque não a palavra amor?
Combina com cor, sabor
e nem me venha dizer que ela é mais usual com a palavra dor!
Mas é tão difícil tê-la em nossos poemas...
Usá-la no sentido próprio, verdadeiro
e não como utopia, apenas
Mas ainda podemos sonhar...
Sim, sonhar...
a única coisa que posso escrever
para rimar verdadeiramente com a palavra amar.
 
RcR
 
******
 
78-Solidão...
 
Bateu em minha porta,quando eu não mais esperava,pois achei que tinha encontrado a felicidade.
Mas...a felicidade bateu asas e deixou um vazio frio e com a dor da saudade a solidão fez morada no meu coração.
Oh! solidão ingrata,dá um tempo,pois já não suporto esta angústia,este castigo na alma,esta melancolia.
Esta solidão que domina e maltrata todo meu ser,até parece que meu coração cansou de lutar, a luz da chama do amor se apagou,tornou-se um céu sem estrelas,pobre alma.
Estou aqui atônita e perdida sem razão para seguir e esta solidão que não me deixa.
Vai....,leva contigo esta tristeza e me deixa viver.
 
Marilda de Almeida [Mari]
 
******
 
79-Solidão no Cio
Zena Maciel
 
Conto estrelas para enganar
  a taciturna  saudade
Bebo o elixir da eternidade
na taça amarga do viver
 
Miro  a nudez da rua escura
Excito-me com sensualidade da lua
 que acaricia minha mão
 e  afaga o cio da solidão
 
Lágrimas  agonizantes
descem pelas estradas do rosto
Molhadas pelo  néctar do desgosto
como um velho terço de rezar!
 
Caem no claustro frio da dor
Com olhos de pavor
Fazem uma prece dolente
e começam a chorar
 
Chorar por um tempo morto
em que um sonho  torto
afogou-se  no mar da ilusão
da  sepultura  do coração
 
Sobre as muralhas do esquecimento
Criva sobras de sofrimento
da turbulência da alma
com  os elos do lamento
 
De joelhos aos céus implora
amaldiçoar o maldito verbo amar
para  nunca mais hastear
o mastaréu flamejante da  paixão
 
Recife-PE
Todos os direitos reservados à autora
 
******
 
80-No caminho da solidão
Sérgio Souza
 
Longe muito longe de mim
Na curva longe, muito longe de ti
Lá bem perto do nada, próximo de coisa nenhuma
Lá onde o vento faz a curva
Lá onde as pragas botam seus ovos
Bem distante do coração
Mora uma senhora chamada solidão
Vesga e inépta ela dispara seu canhão
De arpejos sobre mim
Na esperança desesperançada de atingir-me
Mas é você, meu guardião, da distância que me acolhe
Recolhe-me no meio do nada, afaga-me e ilustra-me
Vem solidão perder-se em meus caminhos
Pois meu pensamento percorrerá toda a distância para te encontrar
Lá na curva do destino confluência da rua da necessidade
Que chega ao largo da desilusão.