81-Solidão
(Eliana Ferraresi)
 
Solidão que acorrenta
a alma da gente,
escraviza os sentidos,
nos roubando
os sonhos,
os encantos
do nosso tão
doído coração.
Minh'alma
já perdeu os alicerces,

se desfez
em prantos
e calou
no meu peito
o tormento
dessa separação
Já não tenho mais
alegria em meus dias
só me restou
a penumbra
dessa
solidão
 
 
******
82-SOLIDÃO...
Sady Mac
 
Da solidão fiz poesia
e nela depositei versos de saudade
Embora, a bem da verdade
dissessem de outras vontades
os versos que eu escrevia
Com lágrima temperada
a tinta de sal, manchada
de vontade, de desejo
de ter em sua face, estrada
e a boca lavada de beijos
 
 
******
 
83-Apenas Saudades.
S.Bernardelli
 
Palavra existente somente em nosso país...
Saudades.
Sentimento que somente se compreende quando sentimos profundamente.
Eu tenho a minha saudade...
 
Eu tenho saudades dos meus dourados anos 70...
Anos que os Beatles encantava meus freqüentes bailinhos,
anos do namoro escondido da rebeldia incontida,dos encontros
com amigos dos fins de semana.
 
Da pizza no final de semana junto que esses mesmos
amigos e das jogatinas de baralho, war e outros...
 
Do cinema, do teatro e dos comentários em grupo.
Do encontro de retiros espirituais.
Das caronas sem perigo...
 
Das paixões sem sofrimento...
Das gentilezas das rapaziadas,
dos ramalhetes de flores nos aniversários.
 
Tenho saudades dos bailes de quinze anos,
das formaturas com as grandes bandas.
Tenho saudades das escoderias...
 
Tenho saudades em que via jovens cheios de coragem
lutando pela liberdade de expressão e por um país mais justo.
Tenho saudades da esperança...
 
Tenho saudades das minhas aventuras...
Saudades do tempo que não mais retrocede,
mas que ficarão eternas na minha lembrança apenas como...
Saudades
 
Caraguatatuba / SP
16/07/2006
 
******
 
84-MINHA AMIGA SOLIDÃO
Josafa Sobreira
 
Eu convidei a solidão para um passeio,
Mas, como sempre, preferiu ficar sozinha
E eu, solitário, imaginei que ela não veio
Porque nenhum dos meus passeios lhe convinha...
 
Se eu a levasse aonde todos sempre vão,
Não privaria da menor privacidade!
Não há recanto apropriado à solidão,
Em meio ao forte burburinho da cidade.
 
Se eu lhe citasse mil locais de isolamento,
A solidão a todos eles conhecia...
Sítios tranqüilos, sem nenhum divertimento...
Locais comuns, que freqüentava todo dia.
 
Deixei, então, que a solidão mesma dissesse
Algum recanto que, de fato, a interessasse,
Onde com ela, solitário, eu estivesse
E só com ela, solitário, eu me encontrasse.
 
A solidão - disse ela triste - não foi feita
Pra ter o gozo da emoção das companhias...
Não poderia - prosseguiu, insatisfeita -
Te acompanhar por um apenas dos teus dias!
 
Pois,se de alguém eu me fizesse companheira,
Como é possível que pudesse estar sozinho?
Como estar só, mantendo alguém como parceira
Que o acompanhasse a cada passo do caminho?
 
E eu despedi-me da tristonha solidão,
Dando razão a tudo quanto me falou!
Saí sozinho a passear, na ocasião
E, finalmente, a solidão me acompanhou!
 
******
 
85-SOLIDÃO
Wilson de Oliveira Carvalho
 
Foi na solidão que
me encontrei sozinho,
rodeado por uma multidão
de pensamentos .
 
Foi nas muitas noites
intermináveis,
que dialoguei contigo,
para saber a razão
deste castigo.
 
Em momento algum,
conheci qualquer resposta,
o meu dialogar implacável
subia aos céus e,
sempre voltava vazio.
 
Gostaria tanto de
conhecer a causa
desse despojo,
que se destaca entre
os meus troféus.
 
Gostaria também de saber
o porque do conteúdo dessa taça
não ter sido entregue em um dia de sol,
mas em uma noite sem lua,
na cruel penumbra da solidão...
 
******
 
86-A M O R   E   S A U D A D E
Glácia Daibert
 
Um dia alguém bateu à porta do meu coração,
eu lhe sorrí,
e de mansinho ele entrou, sem que eu notasse
 
Vivia... sonhava com ele, despertava para ele.
Sentia a felicidade juntinho de mim,
iludia-me com seu olhar de ternura,
com palavras bonitas e, num despertar descobrí,
que estava amando de verdade.
 
Hoje, tudo o que me resta é a saudade,
o meu amor, sem dizer nada partiu.
O brilho de meus olhos se apagou,
deixando brotar duas lágrimas...
 
Estou só...
a vida já não é mais bela
pois já não tenho ao meu lado
aquele que me foi tão terno.
 
Nunca conseguirei lhe esquecer,
o amor nasce, nunca morre
e... se amanhã quiser bater na porta de meu coração,
eu lhe sorrirei e lhe deixarei entrar novamente.
 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS
 
******
 
87-QUANDO DÓI O CORAÇÃO...
 
Quando dói o coração, todo o corpo dói.
Por que permitimos que as pessoas entrem assim tão dentro da gente a ponto de sairem carregando um pedaço de nós quando partem? Por que nos damos tanto, nos entregamos tanto, nos deixamos tanto em mãos não tão cuidadosas dos nossos sentimentos?
Deveríamos aprender a ficar na margem, olhando de longe a paisagem calma e nos satisfazer dessa visão, como quem se fascina com uma miragem. Mas não nos satisfaz olhar. Humanos que somos, precisamos absolutamente sentir, ao risco de nos afogar... e mergulhamos inteiramente.
E, vida afora, vamos mergulhando em promessas de amor eterno, felicidade infinita e mar de rosas. Não nos questionamos sobre probabilidades de perdas e decepções, pois só de pensar já é doloroso.
Dói... dói... dói e dói!... Mas isso não vai nos impedir de continuar, não vai nos impedir de viver. Pedaços de nós são ainda partes de nós e ninguém disse que precisamos chegar à velhice inteiros e sem marcas.
Isso é vida!!! Não desistir, manter-se de pé, doendo, mas de pé, cabeça erguida na direção do desconhecido e peito cheio de esperança que a próxima vez será diferente.
Grandes artistas obtiveram o melhor das suas obras nos grandes momentos de aflição e dor. Faça o mesmo: Mostre o que de grande há em você tirando partido das suas decepções!
Construa-se!!!
Tenha em mente que não é você que não foi digno daquele amor, mas aquele amor que não foi digno de você. E se faz parte da vida caminhar entre flores e espinhos, não se esquive do caminho.
Caminhe!!!
Amanhã talvez seja diferente. E talvez não.
Mas entre as subidas e descidas, você vai ter sobrevivido. E vai ter, sobretudo, vivido.
 
Carinhosamente
Andréa Basílio ®
 
******
 
88-Tua ausência
Reny Carvalho
 
Ah! Essa solidão que persegue
Percorre caminhos, quebra barreiras
Encontra-me desarmada...
E me aprisiona sem culpas nem perdão
 
Procuro o equilíbrio fixando o pensamento em você...
... e somente você afasta o sombrio sentimento vago
de uma alma inquietante
Que procura pela essência da razão.. sem contudo ter compreensão...
 
Ah! Essa solidão que me invade o coração...
Que busca caminhos nunca vistos até então
Solidão que se faz presente com tua ausência
Solidão que cresce sentindo a tua falta
 
Ah! Solidão que me entende...
Que me leva a velejar no por entre nuvens cinzas
Que quando ausente faz brotar o sol nascente...
E quando presente tempestade anuncia..
Que se esvai deixando um mito de felicidade
 
Vem e me arranca dessa nostálgica paixão
Transforma em amor presente
Todo amor que há no meu íntimo ser...
E desfaz tua ausência com um brilho celeste
Que um dia se fez amor e hoje é solidão...
 
17/07/2006
 
******
 
89-Minha Solidão
Eda Carneiro da Rocha
 
Minha solidão não é falta de ti!
É falta de mim,
que me procuro e não me encontro,
tão sozinha estou!
 
Procuro meus sonhos,
meus atos futuros,
não os acho,
pois essa solidão é tão minha
que por mais que faça
não me tens,
pois desertei de mim,
te amando,
te querendo de tal maneira
que sozinha estou.
 
Então, páro por um momento
te procuro, para que possas me dar
parte de mim,
parte de ti,
para acabar de vez,
com essa  minha solidão!..
 
Eda Carneiro da Rocha
 
******
 
90-VOA LIBÉLULA
Badu
 
Libélula tão elegante e sem vaidade, não arrancaria
suas asas em um ato de crueldade.
Lembranças de cores que me ferem na saudade,
de nossa cumplicidade de eternas tardes vividas
na simplicidade.
Sem opção de escolha abandonei você, assim...
De um dia e mês,
uma   estação qualquer, um outono talvez.
Quantas cores a refletir seu corpo na luz do sol e
eu a admirar e indagar,
se tanta beleza poderia existir em qualquer outro lugar.
Despretensiosa me seduziu, em vôos suaves e
pousos delicados,
nos arbustos e ramagens ou na pele quente de
meu corpo suado,a fitar essa miragem. .
É injuria? Pecado com perdão,  afirmar  que o meu
amor é você!
Ser enfeitiçado, voar, viver e por um momento ser amado. .
Que convite me faz colorindo minha manhã, ao
chegar toda bela,
não encontrando a saída aprisionando-se na janela.
Hoje planando  atrapalhada, busca  em meu quarto um amor
igual ao que lhe dei outrora,
no qual nunca mais irás ser amada.
Abro essa prisão, lhe dou liberdade para voar!
Deixando em  meu coração a lágrima de saudade
que não escorre no olhar.
Voa libélula assim tão bela, cansada da espera
vem me procurar...
Minhas asas feridas não voam mais, meus olhos
são lembranças de
um coração que nunca deixou de amar.