Tempera tristeza... poema com beleza
sentimento intenso apogeu da pureza
Força do tempo em recantos do coração
aquece com esplendor...raios da paixão

Amor imponente... livre sabor da brisa
acaricia face... males da espera suaviza
Veta sombras da solidão na hora vigente
com abraço da esperança n'alma ardente

Fontes de sensibilidade em gotas ternas
na impulsão do desejo palavras seduzem
Coração no palco das sensações internas
intenções glamourosas... gestos conduzem

Sentidos regem preciosa expressão corporal
declinam vontades... amar... razão principal
Ajustam pensamentos na diretriz da conquista
a qualquer hora amar coração ordena... insista

Marcam instantes ruídos de folhas sussurrantes
pela senda do destino...ecoam solitários passos
Voam pássaros vida concede sons emocionantes
e todo vazio da ausência sede à ternura espaços

No calor das emoções anseio de amoroso enleio
instiga coração mergulhar na espera sem receio
Assiste ao tempo arrebatar... nostalgia pendente
dourando o gostar ao clamor do corpo evidente

Amor escravo d'alma no adorno da consciência
na doçura aspira laços de cumplicidade amante
Invoca ao universo do contratempo indulgência
no gozo de sensações liberdade nunca oscilante

Abolir sonhos jamais... convicção irredutível
céu cravejado de estrelas no beijo apaixonado
Nas juras enamoradas...inexiste o impossível
amor imensurável... é com eternidade tocado

Em páginas de existência tributo ao amor
por quem nem sonha com encanto reinou
Ápice da paixão...sequer carícia alcançou
perdeu sem sentir... da intensidade valor

Emoção... musa do poeta
com maestria amor interpreta
Enaltece do coração... verdades
concessão plena da intimidade
Voz do amor... fidelidade aquieta
dom da intuição guia mãos do poeta
Das batidas do coração ritmo acerta
desejo amante... mais e mais aperta



* * * * *

Mônica Ferreira Camargo
16/10/05



 

 



 






Publicado: 06.04.2006 
Última atualização: 12.11.2006